Vilaverdense-Vidago, 4-0: Inferioridade numérica ditou desfecho final

Foi um jogo marcado pelas expulsões da equipa Vidaguense, em que começa a ser difícil construir um onze para o mister Vítor Gamito. Enquanto o Vilaverdense com muitas mexidas na sua equipa, com jogadores muito rodados em divisões superiores, a acrescentarem muita qualidade ao plantel.

O jogo começou muito equilibrado, com ambas as equipas atrevidas, no entanto, sem chegarem perto da baliza adversária, sentia-se que nesta fase inicial as equipas estudavam-se.

Mas aos 16’ quando pela primeira vez que a equipa do Vilaverdense chega à área do Vidago , acontece o lance que viria a marcar todo jogo, num lance disputado nas alturas entre o guardião Tiago Guedes e Rui Gomes, há um choque e passado alguns segundos, e já quando a bola estava fora do recinto de jogo o árbitro da partida assinala grande penalidade.

Na marcação da grande penalidade Duarte permite a defesa de Tiago Guedes, na recarga a bola dirige-se lentamente para a baliza, com o guardião dos forasteiros a tirar sobre a linha de golo, o árbitro auxiliar indica ao árbitro principal que a bola tinha transposto a linha de golo. Na sequência do lance, Tiago Guedes que tinha visto o amarelo no lance da grande penalidade, protesta alegando que a bola não teria entrado e vê a segunda cartolina amarela, deixando a equipa em inferioridade numérica.

A equipa do Vidago mesmo em inferioridade numérica, cerrou os dentes e em jeito de revolta reagiu muito bem ao golo, estando por duas vezes muito perto de empatar. Primeiro através de um livre lateral, Abreu cabeceia para uma excelente defesa de Paulinho junto à linha de golo, mais tarde foi novamente o capitão Abreu que após a marcação de um pontapé de canto, permite que o guarda-redes da casa volta-se a brilhar.

Chegava-se assim ao intervalo, com sentimento de injustiça para os comandados de Vítor Gamito, que tudo fizeram para merecer um outro resultado neste primeiro tempo. A equipa da casa, apenas conseguiu controlar o jogo nos últimos cinco minutos da primeira parte, aí sim já com um futebol mais apoiado, com os seus laterais mais abertos, obrigando a equipa Vidaguense a defender.

Na segunda parte os comandados do experiente treinador Carlos Cunha, entrou forte e chegou muito cedo ao segundo golo. Passavam apenas 4’ deste segundo tempo, e após a marcação de um pontapé de canto, a bola fica solta na grande área, e numa carambola Gonçalo remata com a bola a embater nas costas de Edú e a trair o jovem guarda-redes Pio.

Em desvantagem de 2 golos e em inferioridade numérica, sentia-se que o jogo estava decidido, o Vidago tentava chegar perto da baliza adversária, mas o terreno de jogo muito pesado dificultava a reação Vidaguense.

Quando se pensava que nada poderia correr pior para os transmontanos, aos 70’ numa entrada perigosa de Nonso, o árbitro da partida mostra o cartão vermelho, deixando a equipa reduzida a nove elementos.

Os homens do Vilaverdense, foram gerindo o jogo a seu belo prazer, conseguindo obter mais dois golos, aos 72’ após novo pontapé de canto, o estreante Edmilson faz o 3-0 e aos 79’ é Jailson que faz o 4-0.

Terminava assim o encontro, com o Vilaverdense a conseguir voltar às vitórias e um Vidago que após 2 jogos sem perder, viria a conhecer o sabor amargo da derrota, mas o que fica de mais importante neste jogo, são mais duas baixas de peso para a equipa do Vidago para os próximos jogos, que também se viu privado do seu treinador que, entretanto, também viria a ser expulso no decorrer da partida. Pede-se também mais algum discernimento à equipa transmontana, que tem que começar a saber lidar melhor com estas situações.

Texto e foto: Manuel Portelinha

VILAVERDENSE-VIDAGO, 4-0

Vilaverdense: Paulinho; Bianchi; Rui Gomes (Edmilson 45); Musa; Gonçalo; Johan (Edu 60); Jailson; Payne; Augustine; Duarte (Miguel Dias 89) e Semedo.

Treinador: Carlos Cunha

Vidago: Tiago Guedes; Jorginho; Abreu (Luis Borges 75); Pedro Miguel; Parini (Ilyas 75); Gabi; Nonso; Joni; Elias (Nuno Miguel 75); Principe (Edu Paiva 45) e Adão (Bruno Pio 19).

Treinador: Vítor Gamito

Local: Campo Cruz do Reguengo – Vila Verde (Braga) .

Árbitro: Bruno Nunes (AF Viana do Castelo).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Tiago Guedes (16 e 19); Payne (29); Edmilson (57) e Gabi (67). Cartão vermelho para Tiago Guedes (19 acumulação) e Nonso (70 direto).

Ao intervalo: 1-0

Golos: 1-0 Duarte (19); 2-0 Gonçalo (49); 3-0 Edmilson (72); 4-0 Jailson (79).



Menu