Vidago – Montalegre, 1-2: entrada em falso na etapa complementar, dita desaire Vidaguense

Jogo fundamental para os Vidaguenses que dependia de terceiros, enquanto os Barrosões tentavam manter o terceiro lugar da tabela. Dados estes ingredientes, foi fácil perceber que se viu um jogo aberto com ambas as formações a procurarem a baliza adversária.

Assistia-se a um bom jogo de futebol, sempre com toada de parada e resposta, e com a bola sempre perto da baliza adversária. O primeiro lance de perigo acabou por pertencer ao Montalegre quando aos 21’ Lio, é servido à entrada da área através de um pontapé de canto, que remata para uma boa intervenção de Tiago Guedes.

Na primeira meia hora de jogo era o Vidago que tinha um pouco mais de preponderância, mas o aos 30’ fica reduzida a 10 elementos, após expulsão de Edu Paiva. O juiz da partida mostrava-se muito ativo disciplinarmente, carregando com cartões ambas as equipas.

Em superioridade numérica o Montalegre começou a ter um maior controlo do jogo, mas foi o Vidago que chegou ao golo, quando aos 35’ Elias é lançado em profundidade na área, e é derrubado pelo guardião forasteiro, quando este tenta chegar à bola. O árbitro da partida apontou para o castigo máximo, expulsando o guarda-redes Josemar. Na marcação do penalti, o própria Elias não perdoou inaugurando o marcador.

Vantagem pela margem mínima da equipa que melhor conseguiu aproveitar a oportunidade de golo.

A segunda parte foi decisiva para o desfecho da partida, os comandados de Vítor Gamito recuaram bastante no terreno de jogo, graças a uma maior pressão do adversário, e logo aos 50’ Angola após a marcação de um pontapé de canto, aproveita uma bola perdida na área e empata a partida.

Volvidos alguns minutos, jogada rápida na direita cruzamento para a área, Tiago Guedes defende, mas a bola sobra para a entrada da área onde surge Zangão a rematar para um grande golo.

Pareciam um pouco atordoados nesta fase os homens da casa, que quando se voltaram a organizar criaram perigo e poderiam ter chegado ao golo, o que não viria acontecer graças a alguma ineficácia ofensiva e a um inspirado Jeimes na baliza Montalegrense.

Cai assim o pano na série A do Campeonato de Portugal, com a equipa do Vidago a não conseguir a desejada manutenção, mas que realizou um campeonato digno e vendeu cara a descida. Quanto à equipa do Montalegre, conseguiu manter o terceiro posto, cumprindo o objetivo para o qual se propôs este época, que era estar na disputa pelo acesso à nova 3ª liga.

Por Manuel Portelinha

Complexo João de Oliveira – Vidago

Vidago: Tiago Guedes; Jorginho; Nuno Abreu (Adão, 81) ; Pedro Miguel; Nonso; Luís Borges Miguel Sousa, 39); Gabi (Príncipe, 81); Jony; Elias; Edu Paiva e Rick .

Treinador: Vítor Gamito.

Montalegre: Josemar; Adilson; Vítor Alves; Zack (Jeimes, 36); Lio; Luan; Ruben Neves (Samate, 76); Angola; Ouattara; Beto Lopez (Vilmar, 46) e Zangão (Miguel Ângelo, 76).

Treinador: José Manuel Viage.

Árbitro: Fábio Nunes (AF Viana do Castelo)

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Ouattara (15); Angola (45+2 e 80); Jony (70); Gabi (79); Samate (85) e Jorginho (90+1). Cartão vermelho para Edu Paiva ( 29); Angola (80 acumulação) e Josemar (33).

Ao intervalo: 1-0

Golos: 1-0, Elias (37 gp); 1-1, Angola (49); 1-2, Zangão (58).

Menu