SC Vila Pouca e SC Vila Real já sonham com a conquista da Taça AFVR

Decorreu esta quinta-feira, no auditório da Associação de Futebol de Vila Real a conferência de imprensa relativa à final da Taça Distrital. Os finalistas SC Vila Pouca e SC Vila Real não esconderam a ambição de conquistar o troféu.

Para Tiago Pinto, treinador do SC Vila Pouca, a presença da equipa aguiarense nesta final é justa pelo percurso realizado. “Queríamos muito estar nesta final. Desde o inicio da época que sempre afirmamos que era um dos objectivos do clube. O grupo de trabalho está moralizado e sinto que os meus jogadores estão preparados para esta final. O SC Vila Real é um adversário de respeito e prevejo um jogo complicado. Apelo aos nossos adeptos que apareçam em massa para nos apoiar”, atirou Tiago Pinto.

O treinador do SC Vila Pouca referiu também que os jogos da Taça são diferentes dos encontros do campeonato distrital. “É uma experiência única poder estar presente numa final. Os jogos de Taça são especiais e vividos com uma enorme intensidade. Para o campeonato os dois encontros que efectuamos com o SC Vila Real (um empate e uma derrota pela margem mínima) foram equilibrados. Quero que a minha equipa esteja organizada e demonstre a sua qualidade nesta final”, concluiu.

Quanto a Patrick Canto, treinador do SC Vila Real, reconheceu que numa final nunca existe equipas favoritas. “Na minha opinião nenhum equipa é favorita a conquistar o troféu. O SC Vila Real e o SC Vila Pouca realizaram um percurso excelente nesta competição e chegaram à final com todo o mérito. Acredito que vai ser um grande jogo de futebol, disputado até ao último minuto e com os jogadores de ambas as equipas a darem o máximo de si. Contudo, as dimensões reduzidas do Complexo Desportivo João de Oliveira, em Vidago, na minha opinião não são benéficas para o estilo de jogo das duas equipas. Todavia, sinto os meus jogadores motivados para conquistar o troféu”, revelou o técnico alvi-negro.

Patrick Canto confessou ainda que estar presente numa final da Taça AFVR enquanto treinador é diferente do que jogador. “Acho que existe imensas diferenças nesse capitulo. Os jogadores neste tipo de competições quando entram em campo procuram disputar a bola com a máxima intensidade e correr a cada lance como se fosse o último. Na pele de treinador temos de ser mais racionais e acima de tudo ter um boa estratégia para anular os pontos fortes do adversário e potenciar o nosso jogo”, rematou o timoneiro do SC Vila Real.

Quando ao árbitro nomeado pelo Conselho de Arbitragem para dirigir esta final é Rui Silva. O vila-realense celebra este ano vinte anos de carreira.

A final da Taça AFVR disputa-se no próximo domingo,2 de junho, no Complexo Desportivo João de Oliveira, em Vidago, às 17 horas e tem relato em directo e na integra na Tarde Desportiva da Rádio Clube Aguiarense, em 95.5 FM ou www.rcaguiarense.com

Menu