Rute Brás com uma estreia inesquecível em Santa Marta

A estreia da empresária de Peso da Régua no Campeonato de Portugal de Montanha foi uma grande experiência, sobretudo porque nunca tinha competido aos comandos do Peugeot 206 RC da NJ Racing.

O ‘batismo’ de pista de Rute Brás que aconteceu literalmente ‘à porta’ de sua casa, foi uma aprendizagem, sobretudo devido à exigente caixa de velocidades do Peugeot, que foram limitando um pouco o seu andamento no ‘ataque’ às curvas do traçado que 3300 metros que compunham o percurso da Rampa de Santa Marta

Ainda assim a piloto-empresária mostrou-se extremamente aguerrida ao longo do fim-de-semana, evoluindo a cada subida efetuada, retirando muitos segundos ao tempo alcançado anteriormente. A título de exemplo, nas três subidas oficiais de prova, logrou retirar mais de 15 segundos entre a primeira e a última, feito que realça a garra e o foco que Rute Brás colocou em pista.

Por isso no final da prova a satisfação de Rute Brás com o seu desempenho era indisfarçável. Uma estreia que a própria considerou “mesmo inesquecível”, admitindo: “Foi mesmo a melhor experiência até hoje!”.

Correr ‘em casa’ adicionou ainda mais emoção à ‘coisa’, muito embora no ‘calor’ e na adrenalina da competição isso nem sequer tenha passado pela cabeça da piloto da NJ Racing. “Para ser honesta, nem me lembrei que estava em casa. O que queria era correr”, confessa.

É claro que o nervosismo veio ao cimo antes de acelerar com o Peugeot 206 RC para dar início à sua participação: “Estava receosa no primeiro dia. Foi a primeira vez que peguei no carro. Nunca o tinha experimentado. Mas depois as coisas começaram a melhorar e fui ganhando confiança em mm e no carro que é fabuloso”.
A experiência que Rute Brás teve em Santa Marta de Penaguião é algo que admite ser para repetir. “Acho que sim.

Quero agradecer à minha família, à NJ Racing e a todos os patrocinadores me terem proporcionado este fim-de-semana inesquecível!”, rematou.

Menu