Rampa PÊQUÊPÊ Arrábida: António Rodrigues continua a mostrar as garras e a caçar pódios!

Motores

Que época de sonho está a protagonizar o piloto do NJ Racing Team

Três provas realizadas no Campeonato de Portugal de Montanha, 2 pódios absolutos, 3 pódios entre os protótipos e 2 vitórias na Divisão B. tudo isto na primeira época que faz a tempo inteiro.

A serra da Arrábida recebeu a 3ª prova da temporada 2020 do CPM JC Group. Estando nós já nos meses do ocaso deste atribulado ano, a prova assumia uma importância extrema para as contas do campeonato, sendo uma espécie de “mata mata” no que concerne às contas dos títulos em discussão.

António Rodrigues apresentava-se “a combate” com o habitual BRC CM 05 Evo da NJ Racing Team e preparado pela FR Power, pronto para dar continuidade ao excelente campeonato que tem ostentado.
O piloto dentista chegava a Setúbal com o foco na defesa dos lugares ocupados nas diversas frentes pontuais em que está envolvido: 2º na tabela classificativa dos campeonatos absoluto e de Protótipos e líder da Divisão Protótipos B.

O traçado da Rampa PÊQUÊPÊ Arrábida voltava a ser para o piloto “uma novidade e a mudança constante que se deu nas condições meteorológicas ainda dificultou mais a aprendizagem do percurso, mas, curiosamente, senti-me bem logo desde a primeira subida. Gostei do desenho da rampa e rapidamente cheguei a uma afinação que me deu garantias para poder rodar forte”.

E foi exatamente isso que o piloto da NJ Racing fez. Ao longo da jornada inaugural de sábado, rodou consistentemente entre os três primeiros e, quando chegou a hora de atacar os 3100 metros do percurso na primeira das três subidas a contar para a classificação, António Rodrigues esteve muito rápido e colocou na tabela de tempos o segundo melhor registo absoluto, ficando também logo na liderança da Divisão Protótipos B.

No domingo, o piloto ainda apanhou um susto. Nas subidas de treinos, tentou “arrancar sem acelerar em demasia, para as rodas não patinarem e o carro foi abaixo nas duas ocasiões. Felizmente, corrigi essa forma de partir e nas duas subidas de prova já não voltaria a suceder!”.

Na segunda subida, com a pista completamente molhada, voltou a rubricar o 2º melhor registo e cedo se percebeu que seria praticamente impossível desalojar António Rodrigues desse lugar de honra no que concerne à classificação final. O piloto até passou para o comando da classificação geral provisória, mas não valorizou tal porque era fruto “da desistência nessa subida do José Correia, devido a um toque. Tinha perfeita noção que se o Zé colocasse a Osella pronta para a terceira subida, voltaria ao comando, tal é a diferença competitiva entre a barchetta dele e o meu BRC, para além dele também ser um excelente piloto”.

Este segundo pódio absoluto da carreira deixou António Rodrigues “sem palavras. Quando comecei esta primeira época a tempo inteiro neste fantástico campeonato, jamais me passou pela cabeça que estaria agora a comemorar esta sucessão de grandes resultados. O meu objetivo passava por conhecer as rampas, ganhar experiência e desfrutar da condução de um protótipo, sem enjeitar dar o meu melhor”.

A realidade encarregar-se-ia de colocar o piloto duriense perante outros voos e agora “tudo pode acontecer. Estou numa excelente posição para acabar o campeonato no pódio absoluto e dos protótipos e para vencer a Divisão B. Fica a faltar a Rampa de Boticas que, espero eu, se irá realizar e quero dar à minha equipa, à minha família e aos meus patrocinadores esta tripla prenda. Será uma recompensa que eles merecem e que coroará esta época que jamais esquecerei!”.

Menu