Mudar um ataque

A temporada passada já tinha transformado Mehdi Taremi num dos melhores avançados do futebol português. O iraniano pegou de estaca em Vila do Conde (21 golos) e por lá deixou saudades, mas não teve vida fácil no seu começo de dragão ao peito.

É sabido que Sérgio Conceição não gosta de lançar jogadores na sua equipa logo à primeira oportunidade e o mesmo aconteceu com Taremi. O dianteiro de 28 anos, internacional A em 46 ocasiões pelo Irão, teve de esperar o seu momento, de modo a habituar-se progressivamente aos companheiros e às ideias do treinador, mas atualmente, parece claro que já faz parte dos indiscutíveis, se é que os há com Sérgio Conceição.

Ora, acontece que, com Taremi em campo, o ataque do FC Porto ganha uma nova dimensão e deixa de estar praticamente dependente dos movimentos na profundidade de Moussa Marega.

O iraniano também conhecido por “Bichinho” pela relação peso-potência do seu corpo, traz outro requinte técnico e uma diversidade importante na sua movimentação que tornam o último terço do FC Porto mais imprevisível.

Além dessa astúcia e inteligência no ataque aos espaços certos para ferir o adversário, Taremi significa também frieza na finalização. Nos nove jogos em que foi titular; venceu os nove e marcou sete golos, tendo ainda apontado outro, ao Portimonense, a partir do banco.

A produtividade consigo em campo é, por isso, imensa. Não será um jogador tão vistoso para os adeptos porque não é o mais agressivo (apesar de também, ajudar na pressão) nem mais rápido ou o que melhor finta, mas é um avançado extremamente objetivo e útil em qualquer equipa portuguesa.

Observar Taremi é uma delícia, sobretudo porque consegue sempre encontrar o seu espaço para sobressair e criar mossa no adversário.

Não é por acaso que foi cobiçado pelo atual top-4 da Liga é evidente que o FC Porto ganhou esta aposta. Não será um jogador para rentabilizar financeiramente, mas pode dar muito a nível desportivo e ser peça chave nesta temporada.

Nesse sentido, o seu contributo em Famalicão foi determinante, fazendo dois golos e sofrendo um penalty, até em que também é mestre. Foi o 7.º triunfo consecutivo do FC Porto no campeonato e, tal como em Guimarães, teve muito de Taremi.

Segue-se um teste de fogo com o Benfica, o mais exigente até ao momento e perante um adversário que irá exigir a sua melhor versão.

Orlando Fernandes (Jornalista)

Menu