Opinião: Falhanço Europeu

A primeira aparição das equipas portuguesas na Europa já tinha sido negativa, com o Benfica a sucumbir na Grécia, perante o PAOK, mas esta semana trouxe notícias ainda mais negativas.

Sporting e Rio Ave perderam no play-off de acesso à Liga Europa e estão fora das competições europeias 2020/21. Os leões enfrentaram o velho conhecido LASK Linz, que na época passada tantas dificuldades causou, e acabaram não só por desiludir como também por serem goleados (1-4 e, Avalade),
A forte pressão dos austríacos fez-se sentir desde início e, além disso o Sporting voltou a sofrer nas bolas paradas, tanto em lançamentos laterais, como cantos e livres diretos. O golo de Raguz caiu como balde de água fria no segundo tempo, mas o pior viria depois, com a expulsão de Coates e demais golos da turma austríaca.

A eliminação é um rude golpe nessa fase da época, não tanto em termos financeiros (a Liga Europa não gera as receitas da Liga dos Campeões), mas porque o clube leonino perde uma montra de valorização de jogadores e investiu consideravelmente para passar a competir apenas uma vez por semana.
Por outro lado, o Rio Ave tinha uma tarefa mais complicada, perante o gigante AC Milan que, apesar de estar longe dos seus tempos áureos, continua a possuir um elenco de qualidade e um poderio financeiro inegavelmente superior.

Os vilacondenses ainda aguentaram com bravura, conseguiram anular a desvantagem criada por Saelemaekers com um golaço de Francisco Geraldes, levaram o jogo para prolongamento, mas as grandes penalidades ditaram a eliminação da turma de Mário Silva.

Deste modo, Portugal vê o seu lote de equipa reduzidas a três (FC Porto na Champions, Benfica e SC Braga na Liga Europa) e os efeitos para o ranking europeu dificilmente não serão nefastos. Estes jogos trarão novamente à tona a discussão sobre a competitividade do nosso futebol, uma vez que não só a décalage para os principais europeus tende a aumentar, como as dificuldades perante formações de Ligas periféricas começa a ocorrer com demasiada frequência para aquilo a que estávamos habituados.

Resta tentar limpar a imagem na fase de grupos, sabendo-se desde já que serão apenas três clubes a contribuir com pontos numa conta final que será sempre a dividir por cinco.

Orlando Fernandes (Jornalista)

Menu