Opinião: a Volta a Portugal

A 82.ª edição da Volta a Portugal em bicicleta vai ser disputada em 2021, sendo a prova a realizar entre 27 de Setembro e 5 de Outubro uma edição especial, devido à pandemia de covid-19.

 “A ser possível a realização do novo evento, este será da exclusiva responsabilidade da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) e terá características distintas, constituindo uma Volta a Portugal – Edição Especial, pelo que não comprometerá a 82.ª edição da Volta a Portugal Santander, que será realizada em 2021 nas datas habituais”, explicou a organização da principal prova velocipédica nacional.

 A edição de 2020 da prova-rainha do ciclismo nacional, que deveria decorrer entre 29 de Julho e 9 de Agosto, foi adiada, no dia 25 de Junho, para datas a determinar, tendo, a 16 de Julho, a FPC anunciado estar “a trabalhar para que a Volta a Portugal possa realizar-se entre 27 de Setembro e 5 de Outubro”, com uma redução de 11 para nove etapas.

 “A Podium Events e a FPC decidiram proceder ao adiamento da 82.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander para 2021. A decisão foi motivada pelo contexto de pandemia gerado pela covis-19 que tornou inviável a realização este ano de um evento desta dimensão”, lê-se no comunicado emitido pela Podium Events.

 Entre os motivos apresentados para o adiamento, a organização da corrida refere “a evolução da pandemia, o estado de incerteza sobre a mesma, assim como a recusa de autorização de passagem e permanência da prova por parte de algumas autarquias”, assim como a “prioridade inequívoca de proteger a saúde pública”.

 “Conscientes de que a decisão poderá colocar a modalidade numa situação dramática, e perante o desejo da FPC de defender o ciclismo profissional e a salvaguarda dos interesses dos ciclistas e equipas, ambas as entidades se entenderam na possibilidade de realização de uma edição especial da Vota a Portugal em bicicleta por parte da FPC” prossegue o Podium, que agradece o apoio de patrocinadores e paceiros nas decisões tomadas.

 A 25 de Junho, a Podium Events, em comunicado conjunto com a FPC, anunciou estar “a equacionar outros cenários e a procurar activamente encontrar com os seus parceiros uma data alternativa para a realização do evento, ainda em 2020”.

 A realização da Volta tinha recebido “luz verde” da Direcção-Geral da Saúde (DGS) e do Governo, atendendo às orientações para a retoma de competições ao ar livre de modalidades individuais e à aprovação do plano sanitário para a prova. No entanto, as câmaras municipais de Viana do Castelo e Viseu anunciaram que não receberiam a passagem da corrida nos seus concelhos.

Orlando Fernandes (Jornalista)

Menu