O QUE MUDA COM /SEM JOÃO MÁRIO

 João Mário abalou o universo futebolístico em Portugal ao assinar pelo Benfica. O internacional português, campeão da Europa em 2016, juntou-se às Águias quando, há poucas semanas, parecia certo que continuaria em Alvalade.

Contudo, por falta de vontade do Sporting ou de acordo de verbas, a verdade é que o médio de 28 anos rescindiu com o Inter e assinou pelo Benfica até 2026. Resta saber o que irá mudar no meio-campo, de Jorge Jesus com a entrada deste nome de peso, que foi peça chave no Sporting campeão. Com João Mário é de esperar um elemento que irá acrescentar qualidade técnica e de passe, mas é sobretudo, alguém, que entende o jogo como poucos em Portugal e que consegue gerir os ritmos da melhor forma.

Os Encarnados viveram, em permanente aceleração na época passada, o que por vezes, dificultava o discernimento na tomada de decisão e abria clareiras no momento da perda de bola, pelo que, com o novo camisola 20, o Benfica ganhará a pausa que tantas vezes se pedia, nomeadamente em jogos de maior exigência, e um jogador com uma elevada cultura tática.

Saber estar bem posicionado é uma das maiores valências que um médio pode ter e João Mário, que poderá partir da ´posição 8 ´ou mesmo de um corredor, não foge à regra nesse capítulo, garantindo o equilíbrio que nunca pode faltar.

Além disso, terá a responsabilidade de resolver problemas, seja através da saída de zonas de pressão, onde ´bastante forte, na variação do centro do jogo ou mesmo no controlo da partida quando o resultado e favorável, sendo que os Encarnados não tinham no plantel outro jogador deste perfil. Contudo, fica a dúvida se o português conseguirá dar o rasgo de criatividade que também, é necessário perante adversários mais fechados e se conseguirá ´casar´ bem com Weigl, sabendo-se que o Benfica ainda estará o mercado pela contratação de um médio defensivo.

Por outro lado, o Sporting perdeu um titular, mas apesar de nenhum jogador do atual elenco ter as características de João Mário, parece ter várias opões no plantel para colmatar esta ausência. Daniel Bragança é o nome que salta de imediato à vista, mas Matheus Nunes, jogador talismã em 2020/21, também, poderá ter uma palavra a dizer, ainda que obrigue a dinâmicas diferentes.

 Além destes, Tabata está a ser utilizado a ´8´e, pela sua técnica e inteligência, poderá ser uma solução interessante.

Orlando Fernandes (Jornalista)

Menu