O NOVO BENFICA

Roger Schmidt chegou a Portugal para assinar pelo Benfica por duas temporadas. O alemão de 55 anos tem um currículo modesto no que a títulos diz respeito, mas somou vários trabalhos interessantes ao longo da sua carreira. Campeão na Áustria há mais de uma década. Roger Schmidt passou ainda pelo Bayer Leverkusen, pelos chineses do Beijing Guoan e, mais recentemente, pelo PSV Eindhoven, onde enfrentou o Benfica na pré-eliminatória da Liga dos Campeões.

 O saldo nos Países Baixos foi dois segundos lugares no campeonato e dois troféus conquistados, mas a tarefa agora é devolver o Benfica ao trilho do sucesso. A esperança da direção e dos adeptos é precisamente essa, ou seja que Roger Schmidt setia o motor necessário para criar um novo Benfica.

 São várias as curiosidades em torno desta aposta de Rui Costa, nomeadamente a necessidade de criar um plantel que encaixe perfeitamente nas ideias do antigo médio, bem como verificar se o seu modelo de jogo tem impacto numa liga como a portuguesa.

 As equipas de Roger Schmidt caracterizam-se por ser vertiginosas, como um futebol direto e objetivo, de pressão alta e de procura constante pelo golo. Por norma, não há tempos mortos e, por isso, é de esperar espetáculo. No entanto, nos campeonatos por onde passou Schmidt nunca encontrou dificuldades como encontrará aqui, em teoria.

 Em Portugal, os adversários do Benfica optam quase sempre por uma postura especulativa, com isso muitas unidades atrás da linha da bola e que retiram muito espaço ao ataque das águias. Assistir à necessidade de Roger Schmidt superar esse tipo de jogo menos dividido será muito interessante.

 Por outro lado, o perfil físico dos jogadores do Benfica não se coaduna com a exigência. Tanto médios, como laterais ou estremos terão de dar muito mais a nível de pressão e recuperação defensiva, o que indicia que muitos atletas poderão estar no mercado. Inversamente, já chegaram Petar Musa e Ristic, lateral que terminou contrato com o Montpellier e que tem a tal capacidade física acima da média.

 Ainda assim, estando Grimaldo de saída, ainda poderá chegar outro lateral esquerdo, como poderão estar na calha jogadores para todos os restantes setores.

 Há, por isso, muito para estruturar definir e ainda é uma incógnita que o Benfica teremos no arranque da nova época, mas a frase “se amas o futebol, amas o Benfica” já deixou marca.

Orlando Fernandes (jornalista)

Menu