O MAIOR GOLEADOR

Cristiano Ronaldo consagrou-se, como o maior goleador da história do futebol de clubes em jogos oficiais.

 O astro português apontou um hat-trick na vitória importante sobre o Tottenham (3-2) e, além, de garantir os três pontos num encontro que estava complicado, bateu mais esse recorde e juntou-o ao estatuto de melhor marcador de sempre em seleções. Recorde-se que, em setembro, CR7 havia bisado contra a República da Irlanda e ultrapassado o iraniano Ali Daei, que marcou 111 golos.

 Nesta altura, Cristiano Ronaldo soma 807 golos na carreia, em 1111 partidas, ao serviço de clubes (superou o austríaco Josef Bican, que liderava a lista com 805 golos em 530 jogos), dividindo essa quantia por Sporting, Real Madrid, Manchester United e Juventus, sendo que a Seleção Nacional chegou já aos 115 golos em 184 internacionalizações e todos esperam que volte a faturar no playoff de acesso ao mundial 2022 de modo a lançar Portugal em uma fase final.

 Na verdade, aos 37 anos, poucos futebolistas têm esta motivação para continuar a vencer, mas numa época que não tem sido fácil, tanto a nível pessoal como coletivo, na medida em que o Manchester United está já muito longe do 1º lugar na Premier League (5º lugar com 50 pontos, menos 19 que o líder) a verdade é que Cristiano Ronaldo continua aí para marcar golo e resolver jogos.

Os Red Devils apostaram muito na sua contratação, fazendo dele um ”reforço bandeira” no regresso a Old Trafford, ou seja, alguém capaz de levar o clube novamente aos títulos, mas apesar de isso não ter sido ainda possível (a Liga dos Campeões continua em aberto) e dele já nem sempre ser primeira opção (no recente dérbi com o Manchester City não foi a jogo), parece claro que o melhor que o conjunto de Ralf Rangnick possa apresentar esta época passa por ele.

 São 18 golos em 31 partidas esta temporada, sendo que, mais do que os números, importa realçar que poucos elementos do plantel têm tanta experiência de títulos e de grandes noites de triunfo. Por outro lado, o top-5 de melhores marcadores ao serviço de clubes inclui ainda os nomes de Lionel Messi (759 golos), Pelé (756 golos) e Romário (746 golos), figuras maiores do desporto-rei e que contribuem também para relevar este marco atingido pelo português.

Orlando Fernandes (jornalista)

Menu