O Andebol de Volta aos Pavilhões da Região


Se o andebol das primeiras divisões e taças de Portugal, masculinos e femininos, continuou a ser praticado desde o início da presente época desportiva, por terem sido nos termos da lei, equiparadas a atividades profissionais, os escalões mais baixos dos seniores, depois de terem andados “aos soluços” em novembro de dezembro, acabaram por parar mesmo em janeiro último, com o agravar da situação pandémica.

Também os juniores e juvenis, cumprindo a obrigação legal, no caso dos primeiros de terem um exame médico a atestarem-lhes capacidades física para jogar no escalão superior e os mais novos, com uma dupla subida de escalão, viram a possibilidade de competir nos campeonatos denominados de Sub-20. Esta solução, apresentada pelo andebol a par de outras modalidades, permitiria “contornar” a lei, visto que esta permitia, à data, a realização de treinos e competições no escalão de seniores. Acontece, que agendada para ter início em janeiro, estes campeonatos viram-se interrompidos logo à nascença.

Nas duas situações atrás, a competir na 3ª divisão de seniores masculinos está a Associação Desportiva de Godim e a competir nos sub 20 masculinos, o Sport Vila Real e Benfica e ambos, após paragem de quase 4 meses, puderam finalmente voltar este fim de semana à competição. Os escalões mais novos, retomaram treinos, depois de realizados os obrigatórios testes ao covid, e voltarão também a competir nesta época desportiva.

No jogo de sub 20, foi um Sport Vila Real e Benfica ainda privado de alguns dos seus atletas, por o IPDJ não ter dado resposta atempada a solicitação da marcação de exames médicos de sobre classificação (dupla subida de escalão). Refiro que este exame tem que ser feito no Porto e embora a solicitação seja já de dezembro, somente esta semana e após alguma pressão, será essa situação resolvida. Refiro isto, pois assim os vilarealenses viram-se privados de utilizar 5 atletas, o que naturalmente condicionou a sua prestação desportiva, que mesmo assim, complicou e muito a vitória da equipa da AA São Mamede, por 26/23.

A AD Godim recebeu e venceu por 28/25, no passado sábado o FC Porto “C”. Antes do início deste jogo, entendeu e muito bem a Direção da Associação Desportiva de Godim homenagear o recentemente falecido Alfredo Quintana, oferecendo uma camisola do ADG com o nome e o número 1 do Alfredo Quintana. Nesse mesmo dia, logo pela manhã na assembleia-geral da Federação de Andebol de Portugal, foram votados votos de pesar pelo falecimento do luso-cubano. Ao fim do dia, num importantíssimo jogo, que poderia mesmo intitular-se de jogo do título, entre o FC do Porto e o Sporting CP e não no início, mas no final deste a equipa do Sporting entregou, pelas mãos do cubano Pedro Valdez, a Daymaro Salina e Vítor Iturriza uma placa, também para homenagear Quintana. Esta homenagem por parte do Sporting aconteceu parcos minutos após terem, muito provavelmente entregue o título ao FC Porto, depois de terem comandado o marcador praticamente todo o jogo, vendo-se o FC Porto na liderança somente a pouco mais de 1 minuto difícil, logo esta foi uma derrota difícil de “digerir”, mas valores mais altos se levantaram e brilhantemente concretizaram a homenagem.

Não há dúvida, que o Andebol e todos os seus agentes, continuam e continuarão a honrar a memória de Alfredo Quintana e se dúvidas houvesse, num mesmo dia, pude testemunhar em 3 momentos/locais diferentes a grandeza destas manifestações dos agentes desta modalidade. Obrigado.

Adriano Tavares (Presidente Associação de Andebol de Vila Real)

Menu