Motores: à conversa com Tito Gomes

Tito Gomes, piloto de Vila Real, esteve à conversa com o Telmo Augusto (responsável pela secção “Motores” do Desportivo Transmontano).

Tito, faz-nos um resumo da tua carreira desportiva?

Tito Gomes (TG): A minha carreira desportiva iniciou-se em 2004 a convite do meu saudoso amigo e grande piloto Manuel Fernandes para participar no Troféu Hyundai Accent Resistência. A conselho do Manuel Fernandes, que não gostava de andar ao lado, preparei-me para esse Troféu com o piloto António Rodrigues, que me deu aulas de condução desportiva no autódromo de Braga!!! Ficámos em quarto lugar no primeiro ano e no segundo não fizemos as provas todas. Depois fiz algumas provas no Troféu Datsun 1200, mas não foi a melhor experiência, principalmente pelo ambiente competitivo e muito pouco amistoso entre os pilotos. Em 2009 adquiri um Lotus Elan e fiz dois campeonatos de clássicos que me deram um gozo enorme. O carro era fabuloso de guiar, parecia um Kart com 220CV/600Kg. Em 2015 comprei o BMW 320IS de Troféu, que tinha sido campeão nacional em 1992, pelas mãos de Alcides Petiz, com que tenho corrido até hoje. Não é um carro fácil de conduzir nos limites mas é o carro de corrida mais “honesto” que tive até hoje.

O objetivo do titulo nacional continua em “ponto de mira” é algo para ser concretizado?

TG: Claro que sim, já fui vice campeão em 2016.

O que estava pensado para 2020 e o que ainda vais concretizar?

TG: O que estava pensado era fazer o campeonato, mas com a pandemia não vou participar em nenhum evento.

As provas de velocidade são as tuas preferidas?

TG: Sem dúvida que sim, mas tenho um sonho por realizar, que é fazer o rally do Alto Tâmega, que antigamente julgo que fazia parte do campeonato de velocidade, é todo em alcatrão e as estradas não me são de todo desconhecidas!

Está previsto para o futuro participações em outras modalidades? Rampas, Rally ou outras?

TG: Até hoje só fiz duas rampas: Sta Marta de Penaguião e Caramulo, mas gostava de fazer Murça e Falperra.

Onde gostavas de chegar, no desporto automóvel?

Os meus objetivos passam sempre pela realização de sonhos e nos automóveis tenho dois: fazer uma prova num BMW M3 E30 Grupo A e guiar um Porsche 917!!!

Como nasceu o gosto pelo desporto automóvel?

TG: Como a todos os Vila-realenses, desde pequeno que nos dias que antecediam as corridas até que todos iam embora, andava desaparecido, sempre no meio dos carros,e garagens, onde eram guardados, até às boxes, e no dia das corridas lá andava pelo circuito de curva em curva.

Como seu principal patrocinador, consideras que há retorno publicitário nas corridas de automóveis?

TG: Quero pensar que sim.

Qual foi, até agora, o teu adversário mais difícil?

TG: Nunca tive adversários difíceis, tive sim adversários com quem aprendi e outros que me desiludiram!

Quem é o teu ídolo?

TG: Tenho dois, Manuel Fernandes e Ayrton Senna.

Correr nos Legends com tantos amigos na grelha, é benéfico ou não?

TG: É muito bom. O facto de sermos amigos não impede que em pista sejamos saudavelmente competitivos.

Qual prefere, o Lotus, ou o 320is?

TG: São carros diferentes, mas ao Lotus tinha-lhe mais respeito!

A sua pista favorita?

TG: Vila Real, mas tenho um carinho especial por Jarama, por ter sido o primeiro circuito onde corri.

Como descreves correr nas ruas da nossa cidade, no Circuito Internacional de Vila Real?

TG: É um circuito que mete respeito e que ao mesmo tempo é onde arrisco mais, porque conheço melhor e tenho todos os meus maiores fãs a apoiarem-me.

Obrigado Tito Gomes, por teres aceitado o convite para esta entrevista ao Desportivo Transmontano. Desejamos a melhor das sortes para a tua vida pessoal, profissional e desportiva.

Menu