Motores: à conversa com Filipe Marques


Filipe Marques, esteve à conversa com o Telmo Augusto (responsável pela secção “Motores” do Desportivo Transmontano). O piloto, natural de Sabrosa, iniciou-se nos karts, mas acabou por rapidamente ingressar no nacional de velocidade e ao volante de um Fiant Punto no ano de estreia, em 2017, sagrou-se Campeão Nacional do Troféu FEUP2.

Filipe Marques, faz-nos um resumo da tua carreira desportiva?

Comecei com 12/13 anos no mundo das motos. Em 2015 comecei a correr nos karts, numa das primeiras corridas da EpicEvents (fiquei em 2º lugar) e a partir daí comecei a fazer provas de karting realizadas pela Epic. Em 2017 comprei o meu primeiro carro de competição, o Fiat Punto e fiz o Troféu FEUP2. Comecei na 2ª corrida do campeonato e consegui vencer a competição, sagrando-me campeão nacional do ano. Em 2018 fiz a Rampa de Santa Marta e a Super Especial Vila Real com o Peugeot 309 2000 Turbo. No ano 2019 fiz duas provas do Campeonato FEUP. Venci a prova de Braga e fiquei em 2º lugar na prova de Vila Real.

Em 2019 fizeste poucas corridas, foi opção própria ou falta de apoios?

Foi por opção própria, tendo em conta que abri o meu próprio negócio. Decidi apostar na minha vida profissional. No entanto fiz o Circuito de Vila Real, como não podia deixar de ser.

Pode-se dizer que no teu ano de estreia foste campeão nacional. Estavas à espera de o conseguir?

Quando se entra neste tipo de competições, quer-se sempre vencer, mas sinceramente não esperava conseguir.  Apesar de ter ido pela experiência e pela diversão, tinha algumas expectativas e fiquei muito satisfeito com a vitória.

O que estava pensado para 2020 e o que ainda pensas concretizar?

Gostava muito de fazer o Campeonato Nacional FEUP2, o campeonato de velocidade, mas devido ao Covid-19 e com as competições todas paradas, tenho feito apenas track-days.

Provas de velocidade, rampas ou super-especiais?

Provas de velocidade, sem dúvida. Gosto da sensação de adrenalina e competição com os adversários.

Está previsto para o futuro participações em outras modalidades? Rampas, Rally ou outras?

Sim, claro. Se a situação assim o permitir, em 2021 gostava de participar tanto em rally, rampas ou campeonatos de velocidade.

Onde gostavas de chegar, no desporto automóvel?

Nesse ponto não tenho grandes ambições. Corro porque realmente gosto.

O teres sido eleito piloto revelação em 2018, foi um justo prémio para a tua época desportiva? Foi importante esse reconhecimento da nossa cidade?

Sim, claro. Foi justo a nível pessoal pelo esforço e comprometimento que coloquei nas competições e ter uma equipa como a EpicEvents a avaliar e reconhecer esse meu trabalho e dedicação só me deixa grato.

Qual foi, até agora, o teu adversário mais difícil?

O mais difícil e que me deu mais luta foi o André Tavares. Disputamos bastantes vezes o primeiro lugar e tínhamos picardias saudáveis em pista. Muitos toques e alguns incidentes.

Quem é o teu ídolo?

Não tenho ninguém em particular.

O Punto, ou o Peugeot 309?

Punto, sempre. É um carro mais completo e engraçado de conduzir.

A tua pista favorita?

Adoro a pista de Vila Real, mas a pista que mais me marcou foi a de Portimão, não só por ter sido a pista onde me sagrei campeão nacional mas também porque foi a primeira pista em que corri.

Como descreves o correr nas ruas da nossa cidade, no Circuito Internacional de Vila Real?

Como já mencionei, adoro a pista de Vila Real, é uma pista fantástica. Além de ser a pista da minha cidade é a que me dá mais adrenalina e sinto que o perigo é iminente. É isso que gosto de sentir ao competir, o perigo. Acrescentar a isso, correr rodeado dos amigos e família, é a cereja no topo do bolo.

Obrigado Filipe Marques, por teres aceitado colaborar com o Desportivo Transmontano. Desejamos a melhor das sortes para a tua vida pessoal, profissional e desportiva.

Fotos by : K1n5E Photos (João Necho)

EpicEvents https://www.facebook.com/epicdren.lda

Menu