Motores: à conversa com Arnaldo Marques

Arnaldo Marques, piloto natural de Braga, mas com fortes ligações a Chaves devido à sua vida profissional (proprietário da clinica Beco com saída) , esteve à conversa com Telmo Augusto (responsável pela secção “Motores” do Desportivo Transmontano).

Arnaldo Marques faça-nos um resumo da sua carreira desportiva ?

O início da minha carreira no automobilismo começou em 2011 quando ao ver as corridas de clássicos decidi comprar um carro com alguma preparação para fazer umas corridas. Com o intuito de fazer algo de que sempre gostei e de me divertir. E assim foi apareceu um Datsun de troféu para venda e eu aproveitei. Fiz a primeira corrida em Braga na rampa da Falperra com o carro praticamente como estava, ou seja com muito pouca preparação. Gostei muito e ainda fiz outras corridas assim. Até que experimentei fazer uma corrida no campeonato de clássicos 1300 onde fui muito bem recebido. foi excelente em termos desportivos e de ambiente entre todos os participantes. Tomei então a decisão de fazer melhorias no carro para fazer o campeonato de clássicos 1300. Acabei por participar em muitas corridas onde foi possível chegar ao título de campeão nacional por duas vezes em 2014 e 2017.  Entretanto sugeriu a possibilidade de adquirir um BMW 325I já com alguma preparação para rally e assim também fiz alguns ralis no norte do pais.

O que estava pensado para 2020, o que concretizou e o que ficou por fazer?

Para 2020 estava mais ou menos preparado para fazer algumas corridas nos clássicos e alguns rally`s mas devido a pandemia só foi possível fazer o Rally do Alto Tâmega .

Rallys ou velocidade? Qual o seu preferido?

Essa e a velha questão à qual tenho dificuldade em responder porque gosto de ambos. Cada modalidade tem as suas especificidades o que as torna diferentes e por isso dá muito gosto fazer ambas, E assim poder vivenciar essa mesmas diferentes sensações . E é como eu costumo dizer “EU QUERO E DAR GAZUNETO” 

Circuito ou montanha?

Talvez circuito pelo prazer de estar em competição com outros pilotos. onde contam os tempos mas principalmente a dinâmica de corrida entre todos os concorrente. Nas rampas de que também gosto e mais só a “luta contra o relógio”

Qual a razão pela queda abrupta dos pilotos dos 1300 no Campeonato Nacional Clássicos?

Realmente em havido um decréscimo de concorrente no campeonato de clássicos 1300. Penso que será pela dificuldade em se conseguir patrocinadores para ajudarem ás despesas que estão algo elevadas. Tanto o valor das próprias corridas, assistência e manutenção dos carros. Como é um campeonato amador de pilotos que gostam de se divertir nem sempre é fácil conseguir financiamentos.

Onde gostava de chegar, no desporto automóvel?

Neste momento da minha vida pessoal e desportiva o meu objetivo é poder manter a participação na velocidade e rally`s . Sempre aberto a que se surgirem novas oportunidades noutros campeonatos que sejam compatíveis com as minhas possibilidades estarei disponível.

Como nasceu o gosto pelo desporto automóvel?

O gosto pelo desporto automóvel vem desde pequeno de ir ver corridas nas suas diversas modalidades. 

Está pensado participar em outras categorias Troféus monomarca, Rallycross, ou outras?

Se surgirem as oportunidades que sejam compatíveis com as minhas competências e possibilidades estou sempre disposto a experimentar.

Quem é o seu ídolo?

É sempre difícil definir um em concreto. Dai para mim todos os que participam no automobilismo merecem ser admirados e apoiados.

O melhor momento da sua carreira?  

Os momentos em que fui campão nacional de clássicos 1300 na classe H71 em 2014 e 2017

É mais conhecido o Arnaldo ou o seu “Amarelinho” ? Qual a história por trás do “Amarelinho”?

O AMARELINHO é mais conhecido. A historia que esta por de trás desta “brincadeira”  é simples. Quando comprei o carro já era amarelo e por uma questão de divertimento e criar em relação ao carro uma “identidade” própria. Também ajuda a uma maior divulgação dos apoios.

Qual foi, até agora, o seu adversário mais difícil?

Difícil não sei se é a melhor definição. Mas já houve vários pilotos com quem tive vários despiques nas corridas o que as torna ainda mais divertidas. Mas foi o campeonato de 2017 com o José Filipe Nogueira onde esse divertido despique foi mais acentuado por ter sido durante todo o campeonato que só foi decidido na ultima corrida.

O Porquê da opção pelos clássicos?

 A opção pelos clássicos surge por gostar dos carros da Época da minha juventude e por gostar muito de conduzir carros de simples mecânica a todos os níveis e sem apoios eletrónicos. Acho que assim HÁ mais piloto e menos carro.

A sua pista preferida?

A pista que mais gosto é o Autódromo Internacional de Algarve

Como é correr em Vila Real?

Correr em Vila Real dá muito prazer por ser uma pista citadina muito técnica que obriga a uma maior concentração. felizmente sempre que lá corri obtive bons resultados.

Planos para 2021?

Para o ano de 20121 tenho mais ou menos planeado neste momento fazer algumas corridas esporádica nos Clássicos e Rally´s. Mas está tudo muito incerto devido à pandemia.

Quer deixar aqui os seus agradecimentos a alguém?

Agradeço a todos os que me tem apoiado ao longo de todas as minha participações nas corridas. Principalmente aos que gostam do AMARELINHO .

Obrigado Arnaldo Marques, por ter aceitado o convite para esta entrevista ao Desportivo Transmontano. Desejamos a melhor das sortes para a tua vida pessoal, profissional e desportiva.

Menu