Montalegre – Bragança, 0-0 (crónica)

Empate não agradou a ninguém

Num terreno de jogo muito pesado, a chuva não deu tréguas e acabou por prejudicar a qualidade do espetáculo. Apesar do relvado encharcado, as duas equipas tiveram aplicação máxima e empenho para atingirem a vitória.

A equipa de arbitragem, de Aveiro, foi a pior em campo e ao minuto treze não assinala grande penalidade sobre Samate, o mais perigoso para a baliza Bragançana.

Aos 25´,o guineense volta a criar perigo num remate forte à trave. O guarda-redes Pedro Fernandes nem se mexeu… A defender bem e a tentar sair rápido em transição, o Bragança cria perigo num remate de Kika que sai perto da baliza de Jeimes. Ao intervalo 0-0.

Na etapa complementar, o Montalegre volta a entrar muito forte, numa cópia daquilo que foi o primeiro tempo. Aos 49´, Samate dispara ao lado e dois minutos depois Ouattara e Vilmar tentam chegar ao golo mas Pedro Fernandes volta a mostrar competência. Aos 68´, o Montalegre chega ao golo por intermédio do capitão Lio Guerra, todavia o lance acaba anulado por fora de jogo.

Com as linhas adiantadas, os da casa destapam o lado direito da defesa e Daniel Pires aproveita para rematar forte e obrigar Jeimes a defesa apertada. Na recarga, o ex-Vilar Perdizes, Ossai, não consegue inaugurar o marcador.

Terminava a partida com divisão de pontos, um resultado que não interessa a nenhuma equipa.

O técnico do Bragança, Rafael Nascimento, mostrou o seu desagrado na saída para os balneários. Uma partida em que os jogadores tiveram excelente atitude, pese embora as condições adversas que ditou a meteorologia. Samate, do Montalegre, foi o melhor em campo.

A equipa de arbitragem esteve mal técnica e disciplinarmente.

O treinador do Montalegre, José Manuel Viage, não falou por estar castigado. Tiago Pona, o adjunto, fala de um resultado injusto: “ Hoje a equipa teve entrega, lutou, teve oportunidades suficientes para ganhar o jogo. Foi um jogo de muita segunda bola, de muita luta. Os três pontos deviam ter ficado em Montalegre.”

Já Rafael Nascimento, fala de superioridade da equipa que treina:“ Enquanto foi possível jogar, o Bragança foi a melhor equipa, que praticou melhor futebol e que procurou mais o golo. Por aquilo que fez na primeira parte merecia sair com os três pontos mas aceito o empate por todas as condicionantes que o jogo teve.”

MONTALEGRE – BRAGANÇA, 0-0

Montalegre: Jemeis; Tiago Oliveira; Luan; Vítor Pereira; Zack; Lio Guerra; Ruben Neves (Mateus Amorim, 85); Samate: Outtara (Beto Lopez, 67); Miguel Ângelo (Angola, 77) e Vilamar.

Treinador: José Manuel Viage

Bragança: Pedro Fernandes; Daniel Pires; Allison; David Carvalho; Ruben Gonçalves (Peter, 60); João Jesus; Nuno Silvano; Álvaro (Capelo, 73), Kika (Passas, 71); Trigo (Zé Luís, 60) e Ossai.

Treinador: Rafael Nascimento

Local: Estádio Dr. Diogo Vaz Pereira – Montalegre

Árbitro: Eduardo Ribeiro (AF Aveiro)

Ação disciplinar: cartão amarelo para Rúben Gonçalves (28), Ouattara (29), Miguel Ângelo (69), Zé Luís (77)

Texto: Nuno Carvalho

Menu