Montalegre – Braga “B”, 3-1: Uma exibição a roçar a perfeição, deu a vitória, justíssima

Só o Montalegre conseguiu vencer (até agora) o Braga B no Campeonato de Portugal.

Desde o apito inicial do árbitro que a equipa transmontana mostrou enorme compromisso, atitude e nível técnico-tático. Também com grande capacidade de circulação de bola, o Braga B sentiu enormes dificuldades defensivas e ofensivas.

O jogo foi muito bom, com elevada qualidade técnica de todos os intervenientes. Sem surpresas, o Montalegre inaugura o marcador num disparo forte e colocado de Angola. Três minutos depois, grande jogada coletiva com 28 toques (!) e cabeceamento letal de Angola. Um hino ao futebol. Angola bisava, um atleta sempre utilizado, mas poucas vezes chamado à titularidade. Depois, o momento mais triste da partida – a lesão arrepiante de Luan Martins, atleta brasileiro, de 21 anos, do Braga B, que sai com gritos de dor – magoou-se sozinho e suspeita-se de lesão grave. Vasco Moreira rendeu o mais azarado da tarde. Em termos ofensivos e na primeira parte, o Braga B só conseguiu importunar a baliza transmontana à passagem dos 45+1, o sul-africano Kodisang obriga Jeimes a defesa apertada para canto. Ao intervalo 2-0.

Para a etapa complementar, surge mais determinado o Braga B e Shurrle atira ao lado. Responde o Montalegre por Vilmar. O brasileiro obriga Rogério Santos a enorme defesa. Cheirava a 3-0 e Rúben Neves teve a chance de sentenciar o encontro. De bola parada, o Braga B reduz pelo capitão Rodrigo Borges, depois de canto na esquerda. Não deu para festejar muito, no minuto seguinte Zangão faz o 3-1 num remate colocado. O 3-1 foi decisivo e definitivo.

O Braga B sente muito o golo e perde-se um pouco. Do outro lado, aumenta a motivação, o Braga expõe-se mais e a equipa transmontana podia ter chegado à goleada. Aos 73´, Vilmar assiste Neves que obriga Rogério a defesa apertada com a perna. No tudo por tudo minhoto, e já no último quarto de hora, Vasco atira ao lado e Edu atira ao poste da baliza de Jeimes. Vitória justa e com nota artística do Montalegre.

Arbitragem positiva e sem influenciar o resultado final. Angola foi o melhor em campo. Shurrle destacou-se no Braga B. Mas o maior destaque vai para toda a equipa barrosã que esteve a um nível muito alto, perto da nota máxima. Pode dizer-se que foi a melhor atuação da temporada.

O treinador do Montalegre, José Viage, é, por estes dias, um homem feliz: “ Estamos contentes. Fizemos uma boa exibição, um bom jogo contra a melhor equipa desta série. Para derrotar o Braga teríamos de fazer uma grande exibição (foi o que fizemos). Demos uma boa resposta mas o grande objetivo da época (subida à Liga 3) está por cumprir. Esta exibição vai-nos dar força e confiança”.

 Já Vasco Faísca, treinador principal do Braga B, destaca a eficácia transmontana: “O Montalegre conseguiu concretizar as ocasiões que teve e o Braga não conseguiu. Foi um bonito jogo de futebol, houveram muitas oportunidades para ambos os lados, duas equipas à procura de um jogo ofensivo. O resultado ao intervalo é completamente injusto, sem retirar mérito ao Montalegre, que venceu e aceita-se o resultado. Na primeira parte fomos infelizes. O terceiro golo abalou a equipa em termos psicológicos”.

Por Nuno Carvalho

Menu