Merelinense – Bragança, 3-2: Transmontanos sofreram o “vira” minhoto

O Bragança não foi capaz de somar pontos na deslocação ao terreno do Merelinense.  A turma brigantina esteve em vantagem por duas bolas a zero mas  a equipa minhota nunca baixou os braços e virou o resultado a seu favor. Com esta derrota, só um autêntico milagre pode salvar os transmontanos da descida.

Nada se pode apontar quanto à atitude dos comandados de Rafael Nascimento. Os jogadores correram, lutaram e mostraram vontade de fazer um bom resultado, mas não chegou. Contra a corrente do jogo, o Bragança até se colocou em vantagem, aproveitando dois erros do experiente guarda-redes Rui Rego. O primeiro, aos 35 minutos, numa saída em falso após um pontapé de canto. Rogério apareceu sozinho e cabeceou para a baliza deserta. Quatro minutos volvidos e nova asneira do ex-jogador do Desportivo de Chaves. Pressionado por Peter, um dos melhores na primeira parte, Rego não aliviou a bola como devia, esta sobrou para Ossai que, à entrada da área, enviou a bola para o canto inferior direito da baliza minhota. Fantástico remate do avançado nigeriano.

Os golos não alteraram o sentido do jogo. O Merelinense continuou com um grande volume ofensivo mas sem criar grandes situações de perigo. Até que, em cima do intervalo, aquele que foi provavelmente o lance chave do encontro. Jogada muito confusa no ataque minhoto. Bruno Fernandes caiu mas mesmo sentado conseguiu manter a bola  em sua posse, levantou-se, rodopiou e com um remate de recurso reduziu a desvantagem. Culpas para a defesa brigantina que, talvez com receio de cometer grande penalidade, não foi capaz de limpar uma jogada que parecia condenada ao insucesso.

Este tento foi uma grande injeção de motivação para o conjunto de Emanuel Simões. O Merelinense entrou ainda mais determinado em virar o resultado na segunda parte. A resistência brigantina durou apenas 11 minutos. Canto da direita, João Paulo saltou mais alto do que toda a gente e fez a igualdade. O Bragança até reagiu bem ao golo sofrido, passou a ter mais bola e a envolver mais gente no ataque na tentativa de voltar à liderança no marcador.  No entanto, foi a equipa de Merelim a marcar novamente. Marcelo escapou ao fora de jogo e, já dentro da grande área, sentou o defesa brigantino e disparou em arco sem qualquer hipótese para Pedro Fernandes. 

Até final, Rafael Nascimento refrescou a equipa, tentou de tudo para chegar, pelo menos, ao empate, mas faltou mais critério para conseguir assustar, verdadeiramente, a defesa da casa. Do outro lado, em contra-ataque, o Merelinense dispôs de três claras ocasiões para fechar a partida. A mais flagrante pertenceu a Joel que acertou em cheio na barra. 

O resultado não se alterou. A turma de Rafael Nascimento já não perdia desde o dia 17 de Janeiro mas fica, agora, com uma missão quase impossível pela permanência. São já seis os pontos de diferença em relação ao Pedras Salgadas e faltam apenas três jornadas. A próxima é em casa do Vilaverdense.

Por Hugo Pires

MERELINENS – BRAGANÇA, 3 – 2

Merelinense: Rui Rego; Miguel Ângelo; Zé Diogo; Rui Ferreira (Joel, 63); João Oliveira; Filipe Almeida; Hugo Baião (Luís Ferraz, 57); João Freitas; Abdullah; Marcelo (Diogo, 88) e Bruno Fernandes (Bouças, 88).

Treinador: Emanuel Simões.

Bragança: Pedro Fernandes; David Carvalho (Nuno Silvano, 88); Alisson; João Jesus; Ruben Gonçalves; Capelo (Rafael Faria, 88); Kika; Rogério; Ossai; Ebuka (Marco Trigo, 67) e Dany.

Treinador: Rafael Nascimento.

Local: Estádio João Soares Oliveira (Merelim S. Pedro – Braga).

Árbitro: João Carvalho (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Hugo Baião (56); David Carvalho (59) e Capelo (88).

Ao intervalo: 

Golos: 0-1, Rogério (34); 0-2, Ossai (38); 1-2, Bruno Fernandes (44); 2-2, João Oliveira (56); 3-2, Marcelo (66).

Menu