Mais de 150 jovens participaram no ‘Dia Paralímpico da UTAD’

O desporto não conhece fronteiras e disso foram testemunhos aqueles que dia 28 março, em Vila Real, participaram no ‘Dia Paralímpico na UTAD’. Atletismo, basquetebol em cadeira de rodas, boccia, voleibol sentado, ténis em cadeira de rodas, judo e ténis de mesa foram as modalidades à disposição dos mais de 150 jovens que participaram nas atividades levadas a cabo na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

Esta foi a primeira iniciativa do ‘Dia Paralímpico no Ensino Superior português’ após a assinatura do protocolo de cooperação entre a Federação Académica do Desporto Universitário (FADU) e o Comité Paralímpico de Portugal (CPP). Na sua intervenção, no colóquio que decorreu da parte da manhã, o presidente da FADU, Daniel Monteiro, referiu a ‘importância e o papel que o desporto tem na integração e inclusão de jovens’ e reforçou a ‘necessidade da igualdade de oportunidades e a força do Desporto no combate à discriminação’. Para Daniel Monteiro foi dado mais um importante passo para ‘mostrar que jovens com deficiência podem ser ativos e ter atividade física ou desportiva regular’.

Durante as suas intervenções no colóquio ‘Movimento Paralímpico’, o atleta paralímpico Mário Trindade, o treinador João Amaral Mendes e o presidente da Federação Portuguesa de Natação, António José Silva, partilharam experiências, realçando os bons exemplos e a importância de projetos que valorizem o desporto adaptado e o movimento paralímpico no País.

De referir que, em 2017, a FADU em parceria com o CPP avançou com um estudo junto das instituições de Ensino Superior para compreender a realidade quanto ao número e hábitos de jovens com necessidades educativas especiais. As conclusões contribuíram também para que o ‘Dia Paralímpico no Ensino Superior português’ se tornasse uma realidade, uma vez que a grande maioria dos jovens admitiram não ter hábitos de atividade física ou desportiva regulares, e manifestaram interesse em passar a ter.

Fonte: FADU

Menu