Numa reportagem sobre ciclismo e btt, o Desportivo Transmontano (DT), encontrou em Vila Pouca de Aguiar, uma jovem promessa. Leonardo Fundo, de 18 anos, actualmente a competir no CTM Vila Pouca de Aguiar/Bike Box, tem vindo afirmar-se em Trás-os-Montes e Alto Douro como um atleta determinado e com vários títulos conquistados.

Leonardo Fundo, começa por recordar como surgiu o seu gosto pelo ciclismo/btt e quando lhe apareceu o convite para fazer parte de uma equipa federada.

” O meu gosto pelo ciclismo/btt surgiu bem cedo, sempre tive um grande afecto pelo desporto de duas rodas. Nas férias de verão passava as tardes a ver as grandes voltas como “Tour de France” , ” La Vuelta”, “Giro de Itália”, e no fim dessas etapas saia para a rua sempre a pensar, “um dia vou ser como um deles”. Sempre tive a paixão pelo ciclismo, mas tendo outras prioridades nunca pratiquei federado apesar de participar em alguns passeios de btt, ia com amigos e familiares. No ano de 2015 o CTM de Vila Pouca de Aguiar criou uma equipa de ciclismo, e alguns dos membros da Direção conhecendo-me e sabendo que gostava da modalidade convidaram-me para fazer parte deste projeto, onde me encontro ainda hoje”, referiu o atleta.

Já sobre a questão dos títulos que conquistou, Leonardo Fundo, destaca aqueles que no seu entender foram os mais importantes.

“Desde que prático este desporto federado já consegui arrecadar algumas medalhas e títulos importantes para mim, como o título de Campeão Regional de Estrada de Vila Real, na mesma vertente vesti a camisola de campeão também em Bragança, e Vice-Campeão Regional de Meias Maratonas de Vila Real. Mas sem dúvida, a vitória que me marcou mais até hoje foi a de Campeão XCM Trás-os-Montes e Alto Douro no ano 2015, todas estas vitórias na categoria de Júnior”, mencionou o desportista.

Campeão XCM Trás-os-Montes e Alto Douro no ano 2015

Em relação aos objectivos que ambiciona alcançar na sua carreira, o ciclista espera um dia poder chegar ao “patamar mais alto a nível nacional e internacional”.

“Enquanto atleta desta modalidade gostaria de chegar ao patamar mais alto, tanto a nível nacional como internacional, mas os apoios são escassos, para estar ao lado dos melhores já tinha de estar a competir numa grande equipa alguns anos. Mas pretendo continuar a lutar para isso alcançar, primeiro os estudos depois o resto vem por acréscimo, não tenho dúvidas que quando tiver um curso e uma vida estável que poderei praticar esta modalidade como realmente gosto”, frisou o atleta.

No que toca às suas referências no ciclismo/btt, Leonardo Fundo, escolheu os melhores ciclistas do momento.

“Confesso que tenho grandes referências quer a nível nacional como internacional, que são grandes motivações nos meus treinos. Gosto bastente do Tiago Ferreira, o português Campeão do Mundo de XCM, o Peter Sagan Campeão do Mundo de Ciclismo, e a grande vedeta Alberto Contador, que dispensa apresentações. São estes três, que na minha opinião mais me cativam na modalidade que prático”, disse.

Sobre a questão de como deve ser traçado o perfil de um ciclista, Leonardo Fundo, destaca o aspecto psicológico, visto que no seu entender um ciclista tem de procurar sempre ultrapassar objectivos e barreiras.

” O perfil de um ciclista é muito mais que preparação física, apesar de isso ser o fundamental, um atleta deste tipo de modalidade tem de gostar, gostar muito, sofre-se muito, quer a nível físico como psicológico, é preciso perder muitas horas de treino para se conseguir chegar as provas e cumprir com os objectivos propostos. É preciso ser ambicioso e querer sempre mais e melhor”, focou o atleta.

Há pergunta, se consegue lidar bem com a derrota, o ciclista aguiarense confessa que “não”, porque no seu entender é um atleta “ambicioso” e quer vencer “todas as provas” onde está inserido.

” Sou um atleta um pouco ambicioso, gosto de ganhar como toda gente, quero sempre mais e melhor, quando sei que não dei tudo o que tinha fico frustrado e tanto melhorar dia a pôs dia, mas nesta fase em que estou mais ligado aos estudos sei que é um pouco difícil conciliar ambas as coisas. Quando uma pessoa é derrotada é sempre complicado ultrapassar, eu demoro algum tempo principalmente quando sei que não dei tudo que tinha para dar, mas com o tempo isso vai passando”, explicou.

Por fim, Leonardo Fundo, agradece ao pai que é o seu principal apoio nesta modalidade, bem como a pessoa que o ajuda a lutar pelos seus sonhos.

“O meu principal apoio sem dúvida que é o meu pai. É ele que suporta quase todos os custos, se não todos desta modalidade, que não é propriamente barata, depois conto com o apoio da minha equipa e dos respectivos patrocinadores. Mas é com a força do meu pai, que um dia sonho poder andar ao lado dos melhores desta modalidade a nível nacional. Acredito que um dia vou lá chegar”, rematou o ciclista.

 

 

Deixar comentário

Comentário