Jornada atribulada de Nuno Guimarães na Rampa Serra da Estrela

Foi complicada a participação do piloto da Régua na terceira prova do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group, pois acabou por ter problemas no seu SilverCar S2.

Nuno Guimarães tinha justificadas expetativas na prova do CAMI, que passavam pela repetição do resultado conseguido em Boticas, apontando assim para um dos dois primeiros lugares na Divisão Protótipos B. A sua maior habituação ao carro era um fator para pensar que desta feita, e contrariamente ao que sucedeu no passado, teria mais sorte no traçado covilhanense. O que infelizmente não veio a acontecer e o piloto de Peso da Régua voltou a ter uma jornada aziaga, embora tenha almejado chegar ao 3º lugar da sua divisão, o que acabou por ser um bom “controle de danos” pontuais.

“Sempre que aqui venho alguma coisa me acontece. O que é pena, porque o traçado é excelente, muito seguro. Mas lamento não poder sair daqui com um resultado que gostava. Tem sempre acontecido avarias ou toques”, começa por lamentar o piloto da NJ Racing sobre o desfecho da sua prova, sublinhando: “Uma vez mais não consegui fazer a última subida. Houve um problema técnico com o Silvercar S2 e, por precaução, abdicamos de participar”.

Mas Nuno Guimarães promete: “Não foi o resultado que ambicionávamos, mas não vamos desistir. Vamos continuar a lutar pelos lugares cimeiros da classificação”.

Apesar da mágoa pelo resultado, o piloto do Peso da Régua continua a gostar da Rampa Serra da Estrela. “O público para mim é o melhor que existe no Campeonato de Portugal de Montanha. Os covilhanenses estão de parabéns, são excelentes, puxam por nós e a prova foi muito bem organizada pelo CAMI”, remata Nuno Guimarães já a pensar na próxima prova, a Rampa da Penha Paisagem Protegida, que decorrerá a 12 e 13 de junho.

Por JA Santos

Menu