Hugo Branquinho: “Para evoluir em 2021 tenho de tirar peso ao carro e ao piloto”

Foi sem duvida alguma das revelações no Campeonato Portugal Velocidade Legends, Hugo Branquinho ao volante dum Honda Civic , já mostrou a sua competividade em pista . Assim começamos por questionar Hugo Branquinho sobre a época de 2020, o que nos começou por dizer ” A época 2020 correu muito bem. Fizemos alguns ajustes do ponto de vista de performance do carro, que funcionaram em pleno. Foi uma época que pecou pela falta de carros com performance semelhantes ao meu carro.” A opção por provas de pista, tem uma razão como o piloto transmontano nos explicou “A escolha da modalidade (velocidade) foi um pouco por influência dos meus amigos, os quais já andavam por estas lides e me facilitaram a entrada. A modalidade da velocidade, no meu caso, é aquela que oferece o melhor equilíbrio entre tempo despendido, custo e segurança; daí a minha continuidade.” Voltando à época de 2020, pedimos a Hugo Branquinho que nos fizesse o resumo prova a prova, o que logo disse “A época 2020, correu muito bem. Ganhamos todas as provas à classe, com exceção de Portimão, onde tivemos um pequeno problema técnico que nos impossibilitou da vitoria.”

Mudando de assunto quisemos saber o que o nosso entrevistado de hoje pensa do calendários de provas para esta época de 2021 “Na minha opinião o calendário 2021 é um calendário interessante e que espelha o esforço de todas as entidades envolvidas de conseguir manter a normalidade na modalidade. Acredito que a proximidade das datas de Vila Real e Estoril, possa ser um desafio, uma vez que o circuito de Vila Real tem potencial de danos nos carros, podendo alguns carros não realizar a ronda do Estoril por estarem em reparação.” Nas corridas antes de entrar para o seu Honda Civic, respeita algum ritual, o que depois de pensar um pouco disse-nos “Respirar fundo e fazer um teste aos meus travões “. E já agora o que vai na alma nos momentos que antecedem uma corrida, o que logo retorquiu “O pensamento que as corridas são ganhas na ultima volta mas que se podem perder na primeira volta.”

O que acha da politica da FPAK, com os desígnios de Ni Amorim ? Acha que tem sido feito um bom trabalho ? Quais as criticas a fazer a esse mesmo trabalho?” O meu acompanhamento dos desígnios da FPAK restringem-se à modalidade em que participo. Do conhecimento que tenho penso que a atual direção da FPAK tem estado à altura do desafio, ajustando regras e ajudando a criar valor para a modalidade. Espero que continuem a superarem-se, dado que todos ganhamos com isso. ” Voltando a falar do seu carro, já alguma vez chegou aos limites do mesmo? Nessa altura é fácil de ir buscar o mesmo? E sustos? “Muitas vezes, contudo tenho estado a trabalhar no carro para aumentar o limite, seja ajustando a afinação do chassi, experimentar diferentes compostos de pneus, etc.. O Japonga é um carro bastante honesto e tem uma tendência subviradora (típica dos carros tração dianteira), contudo também tem momentos de mau feitio, fazendo com a traseira ganhe uma dinâmica própria…nestes casos a falta de maior potencia de motor revela-se inibidora de uma recuperação fácil, é preciso dar muitas voltas ao volante (não tem direção assistida) e gerir acelerador.”

Fale-nos da sua equipa. Quem é o preparador e os mecânicos que assistem o seu carro” bem o Japonga está a ser desenvolvido por mim, pelo Pedro Silva e uma perninha do João Mestre. Somos uma equipa pequena, mas uma equipa a serio.” Como é que chegou às corridas ? Fale-nos um pouco de forma resumida como começou e quais os passos que deu até aos dias de hoje” As corridas são um sonho de criança e começaram em Angola por convite do meu amigo Bruno Martins. A partir desse ponto nunca mais parei. Tive a sorte de estar rodeado por pessoas que me ensinar a verdadeira essência das corridas e a saber desenvolver os carros.

Para 2021 há perspetivas de aumentar o numero de patrocinadores?” Espero manter e se possível aumentar.” Acha que a actual divulgação do nosso automobilismo em Portugal em termos de TV melhorou? Qual a sua opinião, e na sua opinião quais as principais falhas, e o que sugere para colmatar essas mesmas falhas, se é que há, “Sim melhorou bastante, espero que continue a aumentar. Eu gostaria que outros pilotos que não os vencedores também tivessem o seu tempo antena para promoverem os seus projetos.” Qual a sua opinião, acha que as medidas de segurança para os pilotos existentes nas pistas , montanha rali são suficientes ?E em termos de segurança pessoal sente-se seguro com o seu equipamento ?Acha que é necessário mais?” Não estaremos 100% seguros, mas penso que as regras definidas pela DGS são amplamente cumpridas.”

A nossa conversa já ia longo e quisemos saber junto de Hugo Branquinho quais as evoluções previstas no Honda Civic para esta época de 2021, o que logo nos disse “Tirar peso ao carro e ao piloto 😊”

Entrevista conduzida por João Raposo

Menu