Desconfinar para de seguida conquistar

Motores

Há uma piloto aguiarense que está a dar cartas no motociclismo nacional desde há vários anos e que recentemente foi Tricampeã Nacional de Enduro. O Desportivo Transmontano foi conhecê-la.

A Pandemia paralisou muitos setores e obrigou à paragem de um sem número de competições desportivas. Com o desconfinamento, muitas delas voltaram a realizar-se, entre as quais o Campeonato Nacional de Enduro que Joana Gonçalves, piloto de Pedras Salgadas venceu pela terceira vez consecutiva. Esta piloto do concelho aguiarense triunfou na Categoria de Senhoras, na prova decorrida em Souselas (Coimbra) no passado dia 5 de Julho, e que foi a última prova do campeonato.

Nesta conversa, Joana Gonçalves conta que “Comecei no Motocross mas há três anos atrás surgiu a oportunidade de ir fazer Enduro e desde ai tenho feito Enduro”. Joana ainda não esquece o Motocross mas corre mais como treino, pois para esta piloto “O meu objetivo agora está no Enduro”, e os resultados estão à vista dado que Joana confessa estar “Bastante contente, estou cada vez a evoluir mais”.

Numa retrospetiva pela infância, esta jovem piloto recorda que a paixão pelas motas “Tem a ver com o meu pai porque ele tem uma oficina de motas, ele também sempre andou de mota e vem tudo por aí. Já ando de mota desde os meus 5, 6 anos, comecei a competir também jovem tinha 12 e pronto tem sido até agora”.

Em relação aos três campeonatos de Enduro que venceu, quando questionada sobre qual o que lhe deu mais prazer conquistar, Joana Gonçalves diz “Penso que foi o primeiro porque foi o primeiro ano de Enduro ou seja era tudo novo para mim, tive muito para aprender naquele ano e foi o que se calhar me deu mais trabalho”, embora reconheça que este ano a competição foi diferente do normal porque “Eu estive dois meses sem andar de mota ou seja um período bastante longo”, no entanto o trabalho e o treino continuaram pois como refere Joana “Neste desporto é super importante a parte física. Treinei a minha parte física e comecei a limar alguns aspetos em que estava menos bem e acho que correu tudo pelo melhor, ganhei a corrida, ganhei o campeonato e esse era o objetivo”.

Tendo já participado em várias competições não só em Portugal mas também no estrangeiro, Joana Gonçalves destaca “Uma prova como chave, foi a prova do Chile (International Six Days Enduro em 2018), é uma prova extremamente difícil, era um desafio enorme ainda por cima noutro continente onde não tem nada a ver com o teu habitat. Sofri muito e foi essa prova que me deu a oportunidade que tenho hoje”.

Esta piloto de Pedras Salgadas tem apenas 24 anos e já é Tricampeã Nacional de Enduro, sendo uma prova viva do sucesso e talento feminino no desporto motorizado, e por isso considera que “Cada vez mais se vê mais mulheres a andar de mota e acho que também vai começar por aí. O desporto feminino em termos de motociclismo ainda tem muito para evoluir e para conseguir se calhar atingir outro patamar”.

Dedicação, espírito de sacrifício e trabalho são alguns dos fatores que Joana enumera para se alcançar o sucesso e também faz questão de não deixar de fora os que lhe são mais próximos pois “Sem dúvida a minha família é o meu apoio desde sempre porque foram eles que me apoiaram desde sempre. Quando a coisa corre bem ou mal eu sei que posso contar com eles e acho que isso é super importante”.

A terminar a entrevista, Joana Gonçalves aponta ao pódio em competições futuras, nomeadamente no Mundial de Enduro, prova a que se quer dedicar.

Jorge Moutinho

Motores: Tiago Montes com problemas de juventude no integra em Portimão
Motores: João Sousa no pódio por duas vezes em Portimão

Conteúdo relacionado

Menu