CP (Série A): Montalegre-Vidago, 3-2 (crónica)

Injustiça ao cair do pano

Depois das dúvidas criadas na realização do jogo dadas as condições climatéricas adversas, as equipas chegaram a um consenso e o jogo inicialmente marcado para as 11 horas passou para as 15 horas deste domingo.

A equipa da casa chegou cedo ao golo, passavam 10’ quando Vilmar à entrada da área e com todo o espaço consegue virar-se e desferir um remate que só parou no fundo das redes de Tiago Guedes.

A equipa do Vidago até tinha entrado bem no jogo, mas a experiência dos jogadores do Barroso ditava leis, e no segundo remate à baliza os comandados de José Manuel Viage não perdoaram e conseguiram aumentar o marcador.

A defesa Vidaguense muito permissiva permitiu que através de um livre lateral que Zack (28) aparecesse sozinho a cabecear para a baliza.

A primeira parte terminava com a vantagem de dois golos da equipa da casa, fruto de jogadores mais experientes e rodados nesta divisão, que conseguiram segurança defensiva e ofensivamente muito competentes. O Vidago que até tinha começado bem o jogo, com um futebol virado para a baliza adversária, foi decaindo a partir do segundo golo.

A segunda-parte começa praticamente com a expulsão por acumulação de cartões amarelos de Vítor Alves (51), quando derruba à entrada da área Gabi quando este se tentava esgueirar. Na marcação do livre direto, o mesmo Gabi reduz o marcador.

O Vidago começou a tomar conta do jogo e aos 67’ chega ao golo da igualdade, quando Jony na entrada da área faz um grande golo, sem hipóteses para o guardião Josemar.

Os homens da casa sentiam dificuldades e era o Vidago que entusiasmado com a recuperação no marcador estava mais perto da baliza e colocava em sentido os defensores adversários.

Mas aos 88’, após um lançamento de linha lateral no meio campo adversário da equipa Vidaguense, a bola é atrasada para o seu meio campo defensivo, que após sucessivos erros permitam que Vilmar apareça na cara de Tiago Guedes, caindo e o árbitro assinalando grande penalidade. De nada serviram os muitos protestos dos homens de Vidago, na marcação o próprio Vilmar encarrar-se-ia de dar os três pontos à equipa da casa.

Poucos minutos depois terminava o desafio, num resultado muito ingrato para os comandados de Vítor Gamito (ausente pelo segundo jogo após ter testado positivo contra a COVID-19), que realizou uma segundo parte de bom nível, respondendo a uma primeira parte com domínio do Montalegre.

Fica ainda uma nota muito negativa para o árbitro da partida com uma arbitragem muito polémica, muito rigoroso em termos disciplinares, não sendo complacente com os jogadores, dadas as condições em que se encontrava o terreno de jogo. Ambas as formações terminaram com muitas queixas para com o jovem árbitro que viajou de Viana do Castelo.

Texto: Manuel Portelinha

MONTALEGRE-VIDAGO, 3-2

Montalegre: Josemar; Tiago Oliveira (Outtara 65); Vítor Alves; Adílson Vaz; Zack; Luan; Lio Guerra; João Fernandes; Rúben Neves (Xavi 65); Miguel Ângelo (Samate 78)e Vilmar (Vítor Pereira 90+3).

Treinador: José Manuel Viage

Vidago: Tiago Guedes; Rui Jorge (Ilyas 89); Miguel Sousa, Abreu; Pedro Miguel; Parini; Afonso (Principe 76); Gabi; Jony; Elias e Adão (Nuno Miguel 85).

Treinador: Filipe Fernandes

Local: Estádio Dr. Diogo Vaz Pereira, em Montalegre.

Árbitro: João Loureiro (AF Viana do Castelo).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Tiago Oliveira (8); Adilson Vaz (12); Vítor Alves (23 e 51); Miguel Ângelo (26); Gabi (35); Afonso (57); Abreu (65); Miguel Sousa (70) e Tiago Guedes (89). Cartão vermelho para Vítor Alves ( 51 acumulação) e Ruben Neves (71 direto).

Ao intervalo: 2-0

Golos: 1-0 Vilmar (10); 2-0 Zack (28); 2-1 Gabi (53); 2-2 Jony (68); 3-2 Vilamar (89 penálti)

Menu