CP (Série A): Montalegre perde em jogo polémico

Cinco golos, outras tantas expulsões e três golos anulados ao Montalegre. Este jogo podia ir para o Guinness World Records…

Jogo esquisito entre duas boas equipas. Entra melhor na contenda o conjunto forasteiro que cria perigo num disparo de Edelino Ie. Três minutos depois o Felgueiras marca mesmo – depois de um canto, André Rodrigues, o melhor em campo, abre o marcador. Depois contratempo para a equipa forasteira – Pinto derruba Rogério, que ia em direção à baliza em posição frontal e vê vermelho direto.

Os da casa tentam chegar ao empate e Álvaro Branco, de livre, obriga Paiva a boa intervenção.

Aos 24 minutos o Felgueiras faz o 0-2, de pontapé de penalty por Rabiola. Uma grande penalidade assinalada muito tardiamente e que, sinceramente, não nos parece existir.

Depois Ferrari obriga Paiva a nova boa intervenção. Antes do intervalo Paiva derruba Rogério, o melhor do Montalegre, dentro da área mas Álvaro permite defesa ao experiente guarda-redes. Ao intervalo 0-2.

A jogar com mais um mas a perder por dois golos o CDC Montalegre não desiste e tenta encurtar distâncias face ao oponente. Aos 48 minutos Ferrari cruza bem para dentro da área mas os barrosões não desviam para a baliza.

Aos 62 minutos Rabiola é expulso por palavras dirigidas a Carlos Macedo. Depois três golos invalidados ao Montalegre. Os Barrosões intensificam a pressão sobre a baliza contrária e jogavam com apenas dois defesas – aos 74 minutos Álvaro obriga Paiva a nova boa intervenção.

Aos 81 minutos André Rodrigues rema contra a maré azul, faz jogada magistral e isola Ivo Lemos que faz o 0-3. Dois elementos do banco do Felgueiras foram também expulsos, por protestos junto da equipa da arbitragem.

O Montalegre, com mais duas unidades, reduz por Beto, num cabeceamento letal. O Colombiano, ex Chaves, fez o segundo golo da época. Já no período de compensação Rogério Pinto faz o definitivo 2-3 e é já o melhor marcador da equipa com sete golos – Paiva não segura a bola e o Guineense penteia o resultado, o guardião pede falta e vê vermelho direto. Para a baliza foi o pequenino Ivo Lemos mas bola não chegou lá. Arbitragem polémica de Carlos Macedo.

O técnico do Montalegre, Viage, disse no final que “foi um jogo atípico, sofremos dois golos de bola parada. Apesar de tudo fizemos um bom jogo, controlamos o jogo, as aproximações que o Felgueiras fez acabou por conseguir golo.”

Já Ricardo Sousa, técnico do Felgueiras sublinha que a sua “equipa entra forte no jogo, foi-nos empurrando para trás com dualidade de critérios muito grande. Felizmente a minha equipa conseguiu ultrapassar as dificuldades criadas. Durante a minha carreira toda nunca vi um jogo destes…”

Nuno Carvalho

FICHA DO JOGO

Montalegre 2-3 Felgueiras

Estádio Dr. Diogo Vaz Pereira, em Montalegre
ARBITRO: Carlos Macedo (A.F. Braga)

Montalegre: Tiago Guedes, David Carvalho (Prince 72), Vítor Alves, Álvaro Branco ©, Zack, André (Beto Lopez 62), Tavares, Lio, Ferrari (Gabi 70), Paulo Roberto e Rogério.

Treinador: José Manuel Viage

Felgueiras: Paiva, Sidney, Ruben Alves (Ivo Lemos 72), Rabiola, Edeline Ie, Pintassilgo, Raposo (Tó Jó 20), Ruben Neves, André Rodrigues, Pinto © e Rafael Floro (Sérgio Duarte 73).

Treinador: Ricardo Sousa

Golos : 0-1 André Rodrigues (5) , 0-2 Rabiola (24) , 0-3 Ivo Lemos (81) , 1-3 Beto Lopez (88) , 2-3 Rogério (90+5).

Cartão amarelo a Tó Jó (26), Paiva (40), Pintassilgo (53) , Rabiola (54), Ruben Neves (90+8).
Cartão vermelho a Pinto (16), Rabiola (62) e Paiva (90+5)

Menu