CP (Série A): Montalegre alcança primeiro triunfo na prova

Jogo muito disputado, nem sempre bem jogado e vitória suada dos transmontanos

Entrou melhor na contenda a equipa de Viage, logo aos 3 minutos, e na sequência de um pontapé de canto, a bola passa perto da trave de João. Dez minutos depois, Samate assiste Vilmar que quase abre o marcador – valeu uma excelente intervenção do guarda-redes local.

O Montalegre estava melhor no jogo e Luan atira ao lado. Ao intervalo 0-0, com sinal mais da equipa visitante.

O Cerveira defendia com uma linha de cinco – três centrais e dois laterais, depois uma linha de quatro e apenas um avançado (Carrilho). Na saída para o ataque os do Alto Minho tentavam sempre procurar as costas da defesa barrosã. Sem êxito.

O Montalegre atuou no seu habitual esquema de 4x3x3. E os barrosões voltam a entrar melhor na segunda etapa, aos 48, Samate obriga Araújo a defesa para canto. Seis minutos depois, Xavi cai dentro da área e o árbitro Hélder Gonçalves assinala grande penalidade que converte Zangão – o típico penálti, guarda-redes para um lado e bola para o outro.

O Cerveira protesta com a equipa de arbitragem e doze minutos depois Samate é derrubado dentro da área e envolve-se com um adversário.

O juiz de Braga expulsa Samate e o Montalegre tenta guardar e até ampliar a vantagem. José Manue Viage refresca o ataque com as entradas de Bah e Angola.

O Cerveira mete mais gente na frente (N Dre e Marcelo). E é precisamente Marcelo que dispara à baliza de Jeimes, com o brasileiro do Montalegre a fazer uma defesa atenta. Já no fim, Luan podia ter dado a machadada final, porém o disparo sai ao lado.

A equipa de arbitragem teve trabalho difícil, decisões erradas mas a vitória do Montalegre é justa – mais remates, mais bola e mais oportunidades claras de golo.

O treinador do Cerveira, Rui Carvalhal, diz que “foi um jogo muito equilibrado e o empate seria mais justo. O penálti assinalado é muito forçado. O Montalegre tem o segundo melhor plantel do campeonato, a seguir ao Braga B”.

Já o técnico do Montalegre, José Viage, considerou que “as vitórias nunca são fáceis. Grande entrada no jogo do Montalegre, estou muito satisfeito com a minha equipa. O Cerveira é uma equipa muito aguerrida mas hoje o Montalegre esteve mais solto, mais disponível fisicamente. O caminho é este. Hoje era ganhar, ganhar ou ganhar.

Texto: Nuno Carvalho

Foto: CD Cerveira

CERVEIRA 0-1 MONTALEGRE

Cerveira: João Araújo, Diogo Carvalho ©, Diogo Novo, Queirós (Rubinho 65), Carrilho, Diegues (N Dre 80), Trindade, Derley, Leo, Lucas (Hugo Costa 80) e Ivan (Marcelo 52)

Treinador: Rui Carvalhal

Montalegre: Jeimes, Xavi, Vítor Alves, Adílson Vaz, Zack, Lio Guerra ©, Luan (Miguel Ângelo 90), Rúben Neves (João Fernandes 76), Samate, Vilmar (Bah 70) e Zangão (Angola 70)

Treinador: José Manuel Viage

Local: Estádio Municipal Rafael Pedreira, em Vila Nova de Cerveira

Árbitro: Hélder Gonçalves (AF Braga)

Ação disciplinar: cartão amarelo para Zack (88), Leo (90+3), Trindade (90+4), Rubinho (90+5) e Miguel Branco (90+6). Cartão vermelho para Samate (66)

Ao intervalo: 0-0

Golos: Zangão (54 pen.)

Menu