Campeonato de Portugal: muita incerteza relativamente ao inicio da competição

Decisões judiciais sobre subidas e descidas adiam definição das séries e inicio do campeonato, havendo incerteza quanto ao protocolo dos testes à Covid-19.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) está atenta a todos os fatores envolvendo a organização da próxima edição do Campeonato de Portugal, cujos clubes revelaram preocupação acerca do cenário de alguma incerteza e indefinição quanto às datas da competição e também sobre os custos dos testes de despistagem à Covid-19.

Segundo avança o JORNAL RECORD, a FPF já informou via email a generalidade dos clubes que está tudo ok com a participação na época 2020/21, tendo igualmente comunicado às associações de futebol que a prova nunca começaria antes de meados de setembro, isto num cenário otimista. Isto porque a FPF ainda aguarda pela decisão do TAD acerca da suspensão das subidas do Vizela e do Arouca à 2.ª Liga, estando igualmente por definir com exatidão a questão das descidas do V. Setúbal e do Aves ao Campeonato de Portugal. Só depois de estar fechado o lote das 96 equipas participantes é que as oito séries poderão ser definidas, procedimento que segue o critério geográfico, e só então poderá ser efetuado o sorteio.

Quanto à questão da saúde pública, a orientação da DGS que está neste momento em vigor (a 30/2020 de 29 de maio,que foi atualizada a 20 de julho) não permite a prática desportiva em contexto competitivo formal – só permite treino condicionado e com várias limitações – pelo que só quando houver uma nova orientação é que a FPF e as outras federações de desportos coletivos saberão com o que poderão contar.

Contudo, uma coisa é certa. Caso essa futura norma da DGS imponha um protocolo semelhante ao existente na Liga o custo seria na casa dos 200 mil euros por cada equipa, ou seja, só os testes no Campeonato de Portugal custariam qualquer coisa como 20 milhões de euros. E ainda faltam os distritais, os campeonatos de futebol feminino e as competições dos escalões de formação. Um assunto a seguir com atenção até porque o adiamento do Europeu devido à pandemia do coronavírus tem influência nos cofres da FPF.

Fonte: Record

Menu