Campeonato de Portugal: a análise às equipas transmontanas na 16ª jornada

Paulo Ferreira, faz a análise ao desempenho das equipas transmontanas na 16ª jornada do Campeonato de Portugal.

SÉRIE A

Vilaverdense – Mirandela, 0-1

E tudo Fábio Mesquita defendeu.

Tarde de sonho do guarda-redes do Mirandela. Numa partida em que o Vilaverdense dominou do primeiro ao último segundo da partida, foi Fábio Mesquita a ter o destaque. Foi capaz de defender duas grandes penalidades, e não satisfeito com isso, ainda somou um punhado de defesas que pode juntar ao seu DVD para mais tarde recordar. O Vilaverdense sofreu um golo contra a corrente do jogo, num lance de infortúnio de Diogo Bianchi a marcar na própria baliza, a 5 minutos do final da primeira parte. O jogo foi de sentido único, e mesmo com 9 unidades, o Mirandela, conseguiu somar 3 preciosos pontos que lhe permitem continuar a lutar pelo acesso à 3ª liga.

Para quem quiser rever esta fantástica exibição do Fábio, deixo aqui o link.

https://www.facebook.com/MundoDosGuardaRedes/posts/1037325773418427

Vianense – Vidago, 3-1

Resultado muito injusto para os homens de Vítor Gamito.

Numa primeira parte equilibrada, em que terminou sem golos, foi no início da segunda parte que o Vianense rapidamente se colocou na frente com 2 golos sem resposta em apenas 8 minutos. Fábio Sequeira com um remate já dentro da área abriu o ativo e Mailló Cruz de cabeça no seguimento de um canto marcou o segundo golo. Elias, quem mais poderia ser, ainda reduziu através da conversão de uma grande penalidade, mas já no ultimo lance da partida o Vianense chegou ao terceiro golo com o Vidago balanceado na procura do golo do empate. Resultado pesado face ao que o Vidago fez na partida.

Vidago – Maria da Fonte, 1-1 (jogo em atraso da 15º jornada)

O Vidago marcou passo, na luta pela manutenção.

Numa partida em que o Vidago esteve a perder por uma bola, Vítor Gamito teve que puxar pela equipa para conseguir amealhar pelo menos um ponto. Com apenas 48 horas de descanso o Vidago não teve a frescura física e mental para levar de vencida a partida. Numa primeira parte que sofre o golo contra a corrente de jogo, através de uma grande penalidade, o Maria da Fonte conseguiu sair a vencer para o intervalo. Durante os segundos 45 minutos, a turma de Vidago chegou ao golo através de Edu Paiva num belo cabeceamento colocando alguma justiça no resultado final. Resultado amargo, pois, o Vidago pelo que fez no segundo tempo, merecia a vitória na partida.

Maria da Fonte – Pedras Salgadas, 1-0

O Juventude de Pedras Salgadas não foi capaz de pontuar no terreno na Maria da Fonte.

Numa primeira parte com poucos motivos de interesse, Luiz Alberto, aos 33 minutos, com um remate à meia-volta dentro da área, na sequência de um pontapé de canto fez o único golo da partida, quando mediante o que se passava no terreno de jogo nada fazia prever para que houvessem golos na partida.

Na segunda parte, Andrés Madrid tentou reajustar a equipa para ter pendor mais ofensivo, mas a equipa da casa controlou a diferença no marcador até ao apito final, apesar da pressão feita em todo o segundo período pelo Pedras Salgadas, mas sem conseguir chegar ao golo do empate.

Cerveira – Pedras Salgadas, 0-2 (jogo em atraso da 11ª jornada)

Vitória muito importante para as contas finais da luta pela manutenção.

A equipa de Andrés Madrid foi pragmática, e quase 100% eficaz na finalização.

Numa partida em que o Cerveira foi a equipa que teve mais bola, o Pedras Salgadas chega ao golo numa desatenção da defesa da casa, e João Pais foi oportuno e abriu o marcador.

O momento da tarde, seria o segundo golo do Pedras Salgadas, Marcelo fez um golo de bandeira, pena não haver público nas partidas, com um remate potente e colocado de fora da área colocou equipa termal a respirar melhor na partida e por conseguinte, com esta vitória do jogo em atraso, permitiu passar o Vidago na tabela e estar agora melhor posicionada na luta pela manutenção.

Vimioso – Montalegre, 2-2

Empate no final da partida premeia os homens da casa

O Montalegre deixou escapar dois pontos no último minuto de compensação, contra todas as expetativas.

Montalegre subestimou a equipa do Vimioso. Ritmo lento, sem dinâmica, pouca determinação e muito previsível. Vimioso que uniu as suas tropas e fez desta partida mais uma final.

Felipe, o melhor da equipa da casa, aproveitou a inoperância do Montalegre e fez o 1-0 na partida.

Vilmar, o suspeito do costumo, é derrubado dentro da área e o próprio avançado brasileiro transforma o penálti no golo do empate. Ao intervalo 1-1, mas o Vimioso poderia estar em vantagem, pois era a equipa que mais queria e mostrava-se ligado na partida.

Numa segunda parte mal jogada,  o golo barrosão chegaria, depois de assistência primorosa de Angola para Vilmar que bisa na partida. Vilmar, jogador para outros campeonatos claramente.

O Montalegre não soube segurar estes 3 preciosos pontos, e ficaria reduzido a dez unidades por expulsão de Adílson que, em apenas três minutos, vê dois amarelos. Já aos 90+3´, o Vimioso chega ao empate num golão do brasileiro Cleyson – o momento da tarde. Vilmar, com dois tentos, foi o melhor em campo e o mais inconformado do Montalegre, como tem vindo a ser hábito. Montelegre que em jogos que aparentemente é favorito, não consegue estar ligado e isso tem custado caro aos homens de barroso.

Bragança – Cerveira, 2-0

O Bragança continua na senda dos bons resultados. Num jogo de aflitos, sorriu os 3 pontos para os da casa.

Vinha de uma vitória moralizadora contra o Mirandela, e conseguiu continuar na senda das vitórias.

Kika abriu o ativo à passagem do minuto 24, e continua com “golo”. Os locais conseguiram dominar a primeira parte e aguentar as investidas do Cerveira na segunda parte. Daria a machadada final no Cerveira com Marco Trigo aos 87 a fazer o resultado final que, torna ainda mais interessante esta luta final pela manutenção.

SÉRIE “B

Fafe – Mondinense, 3-2

Mondinense regressa aos distritais

Os comandados de Francisco Lemos não conseguiram trazer pontos de Fafe, mas mereciam.

Grande jogo de futebol. Numa partida muito equilibrada, e apesar das várias oportunidades para os dois lados o marcador ficaria a zero na primeira metade.

Numa segunda parte frenética, o Fafe chegou à vantagem por Helinho, mas Ouvido Lourenço a fazer dois golos plenos de oportunidade, duas cabeçadas certeiras que colocaram o Mondinense a vencer por 2-1 a na partida. Foram 25 minutos frenéticos, pois o Fafe chegava ao empate imediatamente a seguir por Paulinho numa boa cabeçada após cruzamento de Nei.

O Mondinense defrontava o seu antigo treinador Carlos Salgado, e fez por merecer a vitória, nunca se escondeu, jogou no campo todo, e poderia ter a vitória caído para o seu lado. Infelizmente isso não aconteceu, pois aos 95 minutos, numa das muitas tentativas do Fafe em cruzar bolas para a área, Pedro Matos foi lesto no cabeceamento e colocou um ponto final na partida.

Com este resultado o Mondinense caiu para as distritais, caminhada inglória para uma equipa com valor, bastante jovem mas com alguma inexperiência para o Campeonato de Portugal.

SÉRIE “C

SC Vila Real – Salgueiros, 0-1

Era um jogo muito importante para a luta pela manutenção.

O Vila Real não foi capaz de segurar pelo menos o empate e com este resultado, caiu para lugares de despromoção deixando-se ultrapassar pelo Salgueiros.

Numa partida, em que os comandados de Nuno Barbosa foram melhores na primeira parte, mas sem conseguir ferir os Salgueiros de Rui Quinta.

No segundo tempo, o Salgueiros, apesar de ter mais bola, mais domínio, não chegava à baliza do SC Vila Real.

Quando já todos pensavam que o resultado final seria a repartição de pontos, o Salgueiros através de uma bola parada chegava ao golo à passagem do minuto 87, por intermédio de Ruben. Nada fazia prever tal desfecho, pois as equipas estavam a anular-se. Foi um duro golpe nos da casa, que se tivessem empatado mantinham a distância pontual para o Salgueiros e ganhavam pontos em alguns campos. Tal não aconteceu, e só vem provar que a luta do SC Vila Real irá ser até ao fim. Numa série em que o ponto vai ficar cada vez mais “caro” o Vila Real terá que ser muito competente para garantir a manutenção.

Esta quarta feira tem um jogo muito difícil contra a equipa do Leça, em jogo em atraso da 10 ª jornada.

Paulo Ferreira (Treinador de Futebol)

Menu