Bruno Duro: de Chaves para Vila Pouca de Aguiar à procura da vitória

Na última edição do jornal Notícias de Aguiar fomos conhecer o jovem atleta Bruno Duro, que, no passado dia 9 de julho, conquistou o recorde nacional nos 150 metros do escalão infantil, com o emblema do Centro de Treinos Municipal (CTM) de Vila Pouca de Aguiar.

Com apenas 13 anos, o atleta alcançou o primeiro recorde nacional feito na pista do Complexo Desportivo de Vila Pouca de Aguiar e o primeiro recorde nacional feito por um atleta do distrito de Vila Real.

“Bater o recorde nacional com as cores do CTM de Vila Pouca de Aguiar foi um orgulho”, contou Bruno Duro ao Notícias de Aguiar.

No entanto, apesar de representar o clube aguiarense, este jovem é natural de Chaves e todo o seu percurso desportivo estava longe de se iniciar no atletismo, visto que o primeiro desporto que o apaixonou desde tenra idade foi o hóquei. “No início não queria propriamente praticar atletismo”.

“Em Chaves não tínhamos condições para treinar. Quando uma professora me sugeriu a mim e ao meu irmão virmos para o CTM de Vila Pouca de Aguiar, acabamos por aceitar. Apesar de ser desgastante temos que admitir que o CTM nos dá outras condições para treinar”, rematou.

Para além do recorde nacional de 150 metros, o jovem flaviense pratica lançamento do peso e salto em comprimento, sendo este último o seu preferido.

No mês de maio, Bruno Duro bateu, ainda, o recorde regional de salto em comprimento, ultrapassando os 5 metros (5,01).

“Ainda sou muito novo, mas tenho a certeza de que vou continuar a praticar desporto para o resto da vida. Se conseguir, vou fazer de tudo para ir aos Jogos Olímpicos”, confessou.

Um legado familiar

À semelhança de Bruno Duro, também o irmão mais velho representa as cores do CTM de Vila Pouca de Aguiar, “apesar de uma lesão que o condicionou durante praticamente toda a última época desportiva”.

No entanto, o legado desportivo surgiu já com o pai, Carlos Duro que, em 1996, se sagrou vice-campeão nacional de légua, em Vila Real.

Mas, devido a questões relacionadas com o tempo, distância e disponibilidade, nunca se tornou atleta federado. Todavia, reconhece que o sonho ficou por cumprir.

“Aos fins-de-semana conseguia inscrever-me em provas através do Inatel e lá conseguia ir praticando enquanto podia”, disse Carlos Roxo.

Agora, o sonho passou para os filhos, que através de muito esforço e resiliência, os leva a treinar de Chaves a Vila Pouca de Aguiar vários dias por semana.

Bruno Duro, com apenas 13 anos, tem arrecadado títulos e lugares de pódio em diversas provas e contribui para o domínio avassalador do CTM de Vila Pouca de Aguiar, que se tem vindo a destacar no panorama do atletismo nacional.

Por: Daniela Parente

Menu