Basquetebol: Sorte não esteve com os Lobos do BCVR nas finais

Baião e Leiria foram palco de grande basquetebol do BCVR

A sorte não acompanhou o Basket Club de Vila Real (BCVR) nas duas finais disputadas no dia 2 de junho. Esta é a conclusão do rescaldo dos jogos que ditaram o campeão da Liga INATEL e da Taça Nacional de Sub-16 Masculinos, dois jogos emotivos e bem disputados, mas que não sorriram aos vila-realenses.

Comecemos pela Liga INATEL. Na final jogada no Pavilhão Multiusos de Baião, concelho que acolheu a final nacional, os Lobos saíram derrotados pelo Basket Almada Clube por 47-57. Os parciais do encontro foram 10-15, 15-16, 10-11, 12-15.  Apesar do equilíbrio como nota dominante em todo a partida, os almadenses venceram todos os períodos do jogo.

Com um conjunto fisicamente muito dotado e com uma forte capacidade de recuperar bolas nos ressaltos ofensivos e defensivos, para além da matreirice e da experiência na condução do jogo, a equipa de Almada condicionou a juventude dos Lobos e o próprio andamento da partida, procurando pausar o jogo e não permitir aos Lobos utilizar as suas armas mais fortes.

Apesar de procurar contrariar este estado de acontecimentos e de procurar recuperar no resultado, nos momentos decisivos não foi possível passar para a frente do jogo. Ficou assim sentenciada a partida e a conquista do vice-campeonato nacional e o título da zona norte, um feito inédito para as cores vila-realenses.

Para história ficam também os nomes dos heróis desta conquista: Rui Silva, Ricardo Bento, Miguel Lobo, Miguel Romão, Hélder Correia, Francisco Dias, Ricardo Sousa, Pedro Pereira, Filipe Silva, António Macedo, Miguel Rodrigues, Ricardo Stringfellow, Carlos Costa e Válter Peixoto.

O Pavilhão de Pousos em Leiria recebeu a fase final da Taça Nacional de Sub-16 Masculinos, um fim de semana cheio de emoções. Os 4 finalistas foram o Clube de Basquete de Albufeira, CAB Madeira e o Clube Operário Desportivo (Açores). No primeiro dia da competição, o Basket Club de Vila Real venceu o CAB Madeira por 54-46, enquanto que na outra partida da meia-final, o CB Albufeira venceu com facilidade o Operário dos Açores.  Ficaram assim apurados os finalistas da Taça.

Numa final épica e eletrizante e que contou com um forte apoio do público de Vila Real, o Basket Club de Vila Real não contou com a estrela da sorte e acabou por perder nos últimos segundos por 55-56. Um resultado dramático e que deixou um amargo de boca aos vila-realenses.

Os parciais da partida (11-23; 14-12; 15-09; 15-12) demonstram um facto do jogo: o Basket Club de Vila Real venceu 3 parciais do jogo e acabou por ser traído por um primeiro período de forte desacerto e com um baixo aproveitamento, o que acabou por condicionar o resultado final.

Mas fica o registo de uma recuperação heroica e sensacional, que permitiu aos vila-realenses  buscar um resultado e entrar na sua discussão de um encontro que os algarvios contavam como uma vitória certa. Com grande coragem e determinação, os Lobos nunca viraram a cara à luta e foram durante largos períodos do jogo mais fortes e consistentes, diante de um adversário que possuía mais recursos físicos e mais dotado de jogadores no banco para poder rodar a equipa.

Uma nota para a arbitragem, que permitiu um jogo agressivo aos algarvios, ficando também a dúvida para o último lance da partida, que poderia ter dado a vitória aos Lobos e que uma má decisão acabou por prejudicar os vila-realenses.

O Basket Club de Vila Real conquistou assim o vice-campeonato da Taça Nacional de Sub-16 Masculinos. Sob a orientação de Jorge Arede e Miguel Fidalgo, registo para os heróis desta prova, com um registo fabuloso de apenas uma derrota na prova, a única não desejada: Pedro Carvalhal, Francisco Rodrigues, Leo Martins, José Benídio, Carlos Rua, Rafael Matos, Rodrigo Fonte, Luís Carvalho, Miguel Almeida, Gonçalo Morais, Tomás Macedo, Gonçalo Fernandes e José Sousa. Por último, uma nota para o 5 ideal da Taça Nacional que contou com Pedro Carvalhal e Gonçalo Morais, com performances desportivas que mereceram o voto dos treinadores presentes na final.

Uma palavra final para os adeptos do BCVR que estiveram presentes nos 2 jogos do clube e que duma forma apaixonada e vibrante, encheram os pavilhões neste domingo para apoiar os Lobos. Pais e muitos simpatizantes, que não faltaram neste momento marcante para a vida deste jovem e dinâmico clube que honra as cores de Vila Real e que representa a cidade de forma brilhante, correta e com um grande desportivismo, reconhecido por todos a nível nacional. Um exemplo de classe e elegância, uma marca indelével desta agremiação.

Menu