ASCENSÃO METEÓRICA

O fecho do mercado é sempre aguardado com ansiedade, mas desta vez foi em Alvalade que se registaram, maiores movimentos de última hora. Tal como em 2019, o Sporting teve de realizar a sua grande venda a algumas horas do términus da janela de transferências, mas recebeu igualmente algo em troca.

Assim, Nuno Mendes foi para o PSG, o clube que mais fez mexer o defeso (contratações como Messi, Sergio Ramos ou Donnarumma), inicialmente por empréstimo, avaliado em 7 milhões de euros, mas tudo indica que a transação será feita em definitivo daqui a um ano. Deste modo entrarão cerca de 47 milhões nos cofres leoninos, uma verdade bastante significativa e que coloca o português com o estatuto de 3ª lateral esquerdo mais caro da história.

O PSG anunciou-o como “o novo diamante europeu” e, de facto, Nuno Mendes tem um tremendo potencial para explorar. Sai do Sporting, onde cumpriu toda a sua formação, como o título de campeão e com apenas 47 jogos nas pernas pela equipa principal. Trata-se de uma ascensão meteórica de um jogador que já esteve no Euro´2020 e cuja valia se percebeu quando foi puxado por Rúben Amorim para a ´piscina dos grandes´.

Alia técnica a uma capacidade física invulgar, que lhe permite percorrer todo o flanco esquerdo com muita acutilância e potência, sendo que acrescenta igualmente critério no passe e qualidade no cruzamento quando sobe no terreno.

É, por isso um lateral completo, até porque defensivamente é também, bastante fiável. Será de esperar que continue a sua evolução em França, onde entrará numa equipa de galácticos sendo que perante a popularidade de muitas das contratações dos parisienses não, será sobre ele que cairá a maioria da pressão imposta pela crítica.

Por outro lado, o vice-campeão francês enviou Pablo Sarabia, por empréstimo, suportando o seu vencimento. Trata-se de um nome categorizado, que ainda recentemente foi titular em vários jogos pela Espanha no Europeu e que chega para acrescentar a sua inteligência, qualidade na decisão, passe e finalização, Sarabia (titular frente à Geórgia e um golo) será mais um a desequilibrar nas costas de Paulinho, juntando-se a um leque composto por Pedro Gonçalves, Nuno Santos e Jovane, mas tem o plus de ter outra experiência a nível internacional, o que pode ser determinante numa prova como a Liga dos Campeões. Resta saber com que mentalidade encarará este novo rumo na carreira.

Orlando Fernandes (Jornalista)

Menu