António Rodrigues esteve fenomenal na Rampa da Penha Paisagem Protegida!

Na prova vimaranense o piloto de Santa Marta de Penaguião esteve perto de uma sensacional vitória absoluta, sendo que a quarta vitória consecutiva na Divisão Protótipos B do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group nunca esteve em causa. Está a ser mais uma época de sonho!

Foi por muito pouco – umas meras 5 décimas – que António Rodrigues não venceu esta quarta prova da temporada, pois apesar do seu objetivo de ganhar a sua divisão nunca ter estado em causa, no primeiro dia fez os possíveis e os impossíveis com o BRC CM05 da NJ Racing/Lusimed e assinou mesmo a melhor marca, superando o grande favorito à vitória.

O piloto duriense tinha admitido que podia, eventualmente, surpreender, e não faltou muito para isso acontecer, embora admita que perder para um protótipo da Divisão A, com outros argumentos, não é nada de surpreendente. Ainda para mais quando nunca tinha competido na Penha.

“É um traçado novo, ao qual me tive de habituar, às curvas principalmente. Depois tivemos um pequeno problema com os travões, que se solucionou rapidamente. E quanto tentei imprimir um ritmo maior consegui o primeiro lugar absoluto no sábado”, explica António Rodrigues sobre o primeiro dia, admitindo que o resultado o fez “ficar com um bocado de coragem”.

O mesmo é dizer que o piloto de Santa Marta de Penaguião se lançou com mais vigor e vontade para tentar o que até aí nunca fora conseguido, ainda que “no domingo a primeira subida tenha sido mais para pontuar e manter a classificação nos protótipos B, para na subida final tentar dar mais um pouco. Fui com tudo, mas o que dei não foi suficiente para ganhar. Mas correu bem e estou orgulhoso do meu esforço e do trabalho da nossa equipa, do apoio da NJ Racing e da capacidade da FR Power para preparar bem o meu carro. Os protótipos B eram o meu grande objetivo e esse título já não nos deve fugir!”, considerou António Rodrigues, apesar de em relação ao campeonato absoluto conservar os ‘pés assentes na terra’: “Na luta principal a diferença dos carros é muito grande para tentar chegar lá. Mas agrada-me o facto de estar perto deles e conseguir uns tempos bastante bons, numa pista curta e com um traçado bastante exigente. Estamos na luta e, mesmo com armas desiguais, tudo vamos tentar para estar na discussão do título absoluto até ao fim”.

Agora, vem aí a “rampa da casa. Correr em Santa Marta de Penaguião, em frente à minha família, aos meus amigos e aos meus conterrâneos, é sempre uma enorme emoção. Tudo farei para lhes devolver o carinho e ao apoio com mais um grande resultado!”.

A Rampa de Santa Marta será a quinta prova do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group e decorrerá a 3 e 4 de julho, sob a égide do Clube Automóvel da Régua.

Menu