Antes de voltar a festejar dentro de campo, andebol português triunfa fora de campo

Depois do histórico apuramento para os jogos olímpicos, a seleção nacional de andebol vai voltar esta semana à competição, para fechar o apuramento para a fase final do campeonato da europa de 2022, que se disputará na Hungria e na Eslováquia, de 13 a 30 de janeiro. No conjunto dos dois jogos, a Portugal basta um ponto, ou seja, um empate, para carimbar matematicamente o passaporte para a quarta grande competição seguida, depois de ter participado no europeu de 2020, mundial de 2021, jogos olímpicos 2020/21. Assim, já na quinta-feira, defrontará Israel em casa destes, depois de no primeiro jogo deste apuramento os ter vencido por 31/22. No próximo domingo, em Matosinhos, às 17:00 horas, a seleção nacional fechará estre apuramento recebendo a Lituânia, depois de em novembro último, em Vilnius, ter vencido por 34/26.    

Da semana passada vieram duas excelentes notícias para a arbitragem portuguesa. A primeira foi conhecida na quarta feira e indicou-nos que a dupla madeirense, Duarte Santos e Ricardo Fonseca, estará a alargar a participação portuguesa nos jogos olímpicos, no que ao andebol diz respeito. Serão, desta forma, umas das 12 duplas presentes. Depois de em janeiro terem estado no campeonato do mundo, infelizmente marcado pela lesão do Ricardo Fonseca, a Federação Internacional voltou a confiar nos lusos. Já na quinta-feira, foi dada a conhecer a nomeação das manas Marta e Vânia Sá, para a final4 da liga dos campeões femininos, que nos dias 29 e 30 de maio se disputará em Budapeste. Depois de no final de 2020 terem estado na fase final de europeu feminino, onde tiveram um desempenho de grande nível, ficando até aos jogos finais do evento, surge outra prova da total confiança da Federação Europeia nesta dupla natural de Tarouca.

Durante o fim de semana realizou-se em Viena, capital da Áustria, o 15º congresso da Federação Europeia de Andebol (EHF). Este serviu também para eleger os diferentes membros para as diversas comissões e, pela primeira vez, o nosso país vai estar representado no comité executivo, através do professor Pedro Sequeira, que é também vice-presidente da Federação de Andebol de Portugal e Presidente da Confederação dos Treinadores de Portugal. Também eleito foi o coordenador nacional para o andebol de praia em Portugal, Mário Bernardes, ficando responsável pelo desenvolvimento e promoção do andebol de praia na EHF. Por último, o último português “a votos” foi Leonor Mallozzi, que foi reconduzida no cargo da comissão feminina das nações. O facto do nosso andebol conseguir estar representado nestes cargos de grande responsabilidade, a par do que as nossas seleções, equipas e árbitros estão a fazer, é prova, se necessário fosse, do grande trabalho e do enorme momento que o Andebol Português está a viver, logo, mais um motivo de orgulho de pertencer a esta grande família do Andebol Português.

Adriano Tavares (Presidente Associação de Andebol de Vila Real)

Menu