André David lamentou “o dia mais triste” da sua carreira de treinador

O técnico transmontano André David, que no passado domingo, ao serviço do Loures, agrediu violentamente o treinador do Anadia, no final do jogo da série C do Campeonato de Portugal (1-1), falou, pela primeira vez, do sucedido, referindo que não se revê “naquele momento triste e incompreensível”. “Um segundo apenas traduziu-se se no dia mais triste da minha carreira de treinador”, escreveu na sua página do Facebook.

O jovem treinador reconheceu e mostrou-se arrependido pelo “erro” cometido, advertindo que, apesar da agressão, não admite que coloquem em causa o seu bom nome. “Sou humano e, quem me conhece de perto, sabe que, não sendo nada perfeito, tenho valores de amizade, respeito e família. Erros, cometemos muitos, mas com os erros aprendemos também. E aprendi que a melhor maneira de nos redimirmos de um erro é assumi-lo. É o que estou a fazer”, continuou.

“O sentimento de culpa é amargo, mas torna-nos homens e agentes desportivos melhores. Peço desculpa a todos os que assistiram, ao clube e respetiva família que represento, e sobretudo às camadas jovens do Loures, a quem tentamos passar valores superiores, onde tais comportamentos não têm lugar”, sublinhou.

André David deixou, ainda, uma mensagem para o futuro: “Amo o futebol, amo treinar e acredito no futuro, com erros, mas assente em etapas cabais de aprendizagem”. Agradeceu, por fim, as “manifestações de apoio” que recebeu ao longo das últimas horas.

Menu