AFVR: Murça vence campeão

O Vilar de Perdizes teve várias oportunidades, mas o Murça mostrou maior pontaria.

Foi um espetáculo pobre de futebol, aquele que proporcionaram as duas equipas. Apesar de ser um jogo de final de época, com tudo decido, houve várias quezílias entre os jogadores e que transbordaram para os bancos de suplentes. Com uma bancada bem composta, os adeptos mereciam mais que um futebol pouco ligado e demasiadas paragens.

Entrou melhor o campeão distrital, na sequência de um livre direto, Tomás atirou ao ferro da baliza de André Ribeiro. Aos 21´, volta a ameaçar a equipa forasteira e Axel proporciona uma boa intervenção a André, que acaba por se sair bem da baliza.

O Murça procurava defender bem, sair rápido em transições e aproveitar as bolas paradas. Precisamente, depois de um lançamento lateral de Jorginho, Pinta abre o marcador aos 25´.

Reagiu o conjunto vilarense e marca aos 42 minutos. No entanto, o golo é invalidado e mal. Antes do término do primeiro tempo, Fábio Pais, de livre, testa a atenção do guardião André. Ao intervalo, o Murça vencia pela margem mínima.

No reatar para a etapa complementar, o Murça chega ao 2-0, num lance muito rápido concluído por Dani. A partir daqui, o Murça ficou mais confortável no jogo, o Vilar arriscava tudo no ataque mas a linha defensiva do conjunto da casa chegava para as investidas. E quando era necessário, André Ribeiro, o guarda-redes e melhor em campo, chegava e sobrava para as encomendas.

O melhor artilheiro do Vilar, Hudson, atira ao lado aos 63´. No minuto seguinte, Hélio quase faz autogolo, valeu de novo André Ribeiro a evitar o tento.

O Murça pôde fazer o 3-0 aos 77 minutos e ainda aos 84´com uma excelente assistência de Diogo para Duarte. O Murça é a primeira equipa a vencer o Vilar de Perdizes, já depois do título conquistado.

A turma barrosã não ficou satisfeita com o trabalho da equipa de arbitragem, a quem reclama dois golos invalidados e um possível penálti. Um jogo difícil de dirigir, com muitas tricas dentro e fora das quatro linhas. A moldura humana presente merecia mais futebol.

O treinador do Murça, José Ribeiro, deixou elogios ao adversário: “Dar os parabéns ao Vilar, justo campeão, uma equipa fantástica e bem orientada. Os meus jogadores foram sérios até ao fim. Fizemos um campeonato de trás para a frente fantástico. É mérito dos meus jogadores, dos ajustes que fizemos, também da equipa técnica, da direção, e fizemos uma segunda volta fantástica, acho que são trinta e tal pontos…” O Murça termina na primeira metade da tabela classificativa.

O treinador do Vilar de Perdizes, Vítor Gamito, não saiu nada agradado com o que viu: “Estreámos quatro juniores que foram também campeões distritais. Não foi um bom jogo. Dar os parabéns ao Murça só pela conquista dos 3 pontos. Marcamos dois golos completamente limpos. O jogo tornou-se muito quezilento. Não se jogaram dois minutos seguidos, não viemos aqui fazer nada, foi uma tarde desperdiçada em termos futebolísticos. Mesmo assim, este título é para lembrar para mim, para o Vilar de Perdizes e toda a região durante muitos anos.” Sobre a continuidade, referiu: “É muito provável. Se for um projeto ambicioso podem contar comigo. Se for para fazer milagres, a situação será mais difícil.”

Por Nuno Carvalho

Menu