AFVR (Fase Apuramento de Campeão): o princípio do fim!

A Fase Campeão do Campeonato da Divisão de Honra de Vila Real vai para 4ª jornada e acho que é a partir daqui que tudo se vai decidir. Desde o início que se sabia que todos os jogos iam ser finais, mas passadas 3 jornadas ainda nenhuma equipa “disparou”. O Régua e o Santa Marta estão empatadas com 6 pontos, seguidas do Cerva, Vilar Perdizes e Abambres com 5 pontos, sendo que Sabrosa e Ribeira de Pena ainda não pontuaram. Pelo meio, 2 dos 8 treinadores destas equipas já “saltaram fora”. Isto dos projetos, das cadeiras de sonho e da confiança inabalável entre presidentes e treinadores é muito linda no dia da apresentação e nas redes sociais quando tudo corre bem, mas basta dois maus resultados que se passa logo de bestial a besta. Isto acaba por dizer mais acerca dos presidentes do que dos treinadores. Vamos aos jogos:

Cerva vs Sabrosa: o Cerva fez um “bom” empate em Vilar Perdizes, principalmente por ter jogado muito tempo com 10 jogadores, e depois do empate em casa com o Abambres. A meio da semana fez uma excelente vitória na taça com o Vila Pouca. Um percurso interessante e com a “defesa” a ser remendada todas as semanas (lesões e castigos), mas que ganhou um reforço de peso (João Miguel). O Sabrosa ainda não pontuou (nem sequer marcou um golo) e acho que a equipa do Cerva vai ganhar com maior ou menor dificuldade e vai-se “colocar nos lugares de cima”. Se o Cerva não ganhar, pode “meter a viola ao saco”.

Ribeira de Pena vs Vilar de Perdizes: o Vilar está em crise, é certo e sabido, 3 jogos sem ganhar (2 deles contra candidatos, com ambos teve a perder, e com o Cerva jogou contra 10 mais de 30 minutos, em sua casa), eliminação vergonhosa com a Diogo Cão (depois de estar a ganhar ainda na segunda parte), trocas e baldrocas com os treinadores. Se não ganhar este jogo, é o princípio do fim. O Ribeira de Pena perdeu nos descontos em Abambres e perdeu por 1 com o Cerva em casa, mas na 1ª fase foi brilhante e inclusive empatou em Vilar de Perdizes. Pode aproveitar este jogo em casa e a aflição dos barrosões para fazer a surpresa. No entanto, se o Vilar Perdizes ganhar dá uma mensagem de força e com o calendário favorável que tem, torna-se novamente um dos grandes candidatos.

Abambres vs Santa Marta: Que jogo interessante em perspetiva, com duas equipas em estados diferentes, uma vez que o Abambres mostrou “nervos de aço” ao vencer em sua casa, nos descontos, o Ribeira de Pena, conseguiu mais um bom passo em frente e se colou ao “pelotão”. Por outro lado, o Santa Marta perdeu de forma justa e clara, em casa, aquele que podia ser o jogo que poderia catapultar a equipa para cima e “enterrar” o Régua. Em caso de vitória de alguma das equipas, estará em boas condições para a “luta final”, ao mesmo tempo deixa o rival fora da corrida. Em caso de empate, acho que “morrem” as duas equipas, embora seja um empate mais saboroso para o Abambres, pois não se assumiu como candidato para a subida.

Vila Pouca vs Régua: jogo chave para ambas as equipas. O Vila Pouca vê neste jogo o “jogo da vida”, uma vez que não ganhou ao Vilar nem ao Abambres (com este foi mais doloroso) e com a derrota na taça a meio da semana, tudo isto atendendo ao investimento feito para esta Fase Campeão. O Vila Pouca só tem um resultado possível: ganhar. O Régua está moralizado e depois da derrota em Vilar Perdizes, tem-se levantado e com 3 vitórias (incluindo na taça), sendo que a vitória clara em Santa Marta, com a pressão e importância que o jogo tinha, chega a este jogo a sentir que pode “arrumar” já o Vila Pouca da luta. Em caso de vitória do Régua, acho que se torna o principal candidato à subida, pois fica com um calendário parecido ao do Vilar Perdizes (recebe o Cerva, vai a Ribeira de Pena e recebe o Abambres). Em caso de empate, acho que é mais saboroso para o Régua. Se o Vila Pouca vencer, dá um soco no Régua e até os ultrapassa.

Em relação aos jogos da Taça AFVR, dar os parabéns às 4 equipas que estão na meia final (Cerva, Valpaços, Diogo Cão e Régua), principalmente às duas equipas não estão na Fase Campeão, pois provam que na taça tudo pode acontecer e que quando o campeonato é “normal” (a duas voltas e todos contra todos), o campeão é mais justo, pois todas as equipas podem causar dificuldades, é necessária mais regularidade para quem ganha.

Voltar a deixar a nota das bolas paradas, pois mesmo na Taça têm sido decisivas, senão vejamos o Cerva 2-1 Vila Pouca, um jogo entre duas equipas de Fase Campeão, e onde todos os golos foram de bolas paradas.

Por Diogo Castela

Menu