AFVR (Fase Apuramento de Campeão): Agora vai Aquecer!

Vai jogar-se a 3ª Jornada da Fase Campeão do Campeonato Distrital da Divisão de Honra da AF Vila Real e tem uma particularidade que torna tudo muito mais interessante, vai haver mais do que um “jogo grande”, ou seja, já vamos ter mais do que um confronto direto entre 5 das equipas que se assumiram como candidatas (Santa Marta, Vila Pouca, Régua, Vilar Perdizes e Cerva). Até aqui apenas tinha havido o Vilar Perdizes-Régua e o Vila Pouca-Vilar Perdizes, e todas as outras apenas tinham defrontado Sabrosa, Abambres e Ribeira Pena.

De jornada para jornada a pressão vai aumentando, as emoções vão ficando à flor da pele, as finais tornam-se “finalíssimas”, e envolvência em torno de cada jogo é maior, a margem de erro vai diminuindo.

Esta jornada vamos ter o Santa Marta-Régua, um jogo que tradicionalmente é muito emotivo e equilibrado, e que vai ter uma nuance que influenciará ambas as equipas: será a estreia do novo “tapete”, digno de equipa de Primeira Liga, diga-se. O Santa Marta chega em melhor possível a este derby duriense (duas vitórias por números expressivos, ainda não sofreu golos, sabendo que tem um calendário “favorável” e sabendo que pode “arrumar” já o Régua da corrida à subida). Tem um 11 muito forte e muito experiente, o treinador mais experiente deste campeonato e já em casa. O SC Régua vem de uma vitória expressiva contra uma equipa que não é candidata, tem um 11 igualmente muito forte, mas já perdeu em Vilar Perdizes, pelo que entra neste jogo com muita mais pressão, sabendo que se perder sai já da luta pela subida, e mesmo o empate não é nada bom. O calendário também não ajuda nada a turma reguense. Temos todos os ingredientes para termos um jogo que faça “valer o bilhete”, digno de Fase Campeão, será jogo de “tripla”, mas implicações decisivas nas contas e na caminhada de ambas as equipas, sendo que o Santa Marta, neste momento, tem um pouco mais de margem de erro.

O Vila Pouca desloca-se a Sabrosa e, caso não vença, fica fora da luta pelo título, com uma nota importante: é a segunda vez que joga em casa de uma equipa que não é candidata, pelo que será o fim da linha se não vencer, com a agravante do Sabrosa ainda não ter sequer marcado golos em nenhum jogo depois da paragem. O Vila Pouca já por duas vezes consecutivas esteve a vencer por 2-0 e deixou-se empatar (a pior da quais em Abambres, um resultado que já saiu caro e até originou a saída do treinador). O Sabrosa volta a ter um jogo contra uma equipa candidata à subida, mas em sua casa pode roubar pontos a qualquer equipa. O objetivo da época já foi cumprido, ir à Fase de Campeão, pelo que tudo o que vier será muito bom, neste regresso ao Campeonato da AF Vila Real, com uma equipa bem orientada e com muita gente da terra, que tem dado a vida todas as semanas, embalado por um grupo de adeptos que não se cansa de ter iniciativas para os apoiar. Nesta Fase Campeão (e até no jogo da taça) a equipa tem-se batido bem, mas o Guarda-Redes, ainda júnior, tem comido erros que se traduzem em golos, em todos os jogos, sabendo que quando um guarda-redes falha, normalmente é golo, e por isso seja mais fácil para um treinador lançar um avançado do que um guarda-redes.

O Abambres-Ribeira de Pena é um jogo a ter em conta, embora seja um embate entre duas equipas que não são candidatas assumidas à subida de divisão, por alguns motivos: a agradável surpresa que sido o Abambres, que já jogou contra dois candidatos (Vila Pouca e Cerva) e não perdeu com nenhuma, inclusive mostrou que tem estofo para estar nesta fase da prova, pois esteve a perder em ambos os jogos e foi à procura do resultado, com sucesso. O Abambres, jogando em sua casa contra uma equipa que não é candidata, pode aproveitar para se “colocar de pantufas” nesta corrida, fazendo 5 pontos, que até com uma conjugação de resultados bem provável de acontecer, pode colocar-se no meio desta mini-tabela das equipas da Fase Campeão. Tem sido uma pedra no sapato dos “teoricamente” candidatos à subida e não parece querer ficar por aqui, até porque é das equipas que joga 4 vezes em casa. O Ribeira de Pena tem aqui um bom jogo para somar pontos, contra um adversário do “seu campeonato”, uma vez que o seu principal objetivo de época já foi conseguido: a ida à Fase Campeão, que até foi conseguida com alguma tranquilidade, com muito mérito e numa série forte e competitiva.

O Vilar de Perdizes recebe o Cerva, que vem de um empate com sabor a derrota, em casa frente ao Abambres, atendendo a vários fatores: “desperdiçou” um jogo em casa (e no calendário apenas tem 3 jogos em casa), por ter estado a vencer e por ter sido contra uma equipa não candidata. Uma equipa experientíssima (é aquela que mais campeões distritais tem) e com muita qualidade, mas não foi capaz de se superiorizar. O Vilar de Perdizes conseguiu um empate “saboroso” em casa do Vila Pouca, porque o conseguiu em casa de um candidato (o único que irá defrontar fora de casa), por ser mais um jogo consecutivo sem perder contra candidatos, por ter estado a perder 2-0 e ter recuperado, por continuar a depender de si. Espero um jogo equilibrado, com favoritismo barrosão. De lembrar que na primeira fase ambas as equipas se defrontaram na última jornada do campeonato e que o Cerva, se tivesse pelo menos empatado esse jogo, teria deixado o Vilar de Perdizes fora da Fase Campeão. Uma “bota que ficou por descalçar”.

Por Diogo Castela

Menu