AFVR: CDC Montalegre/ Abelhas Azuis é campeão distrital de futsal sénior masculino pela primeira vez

Depois de vencer o jogo 1, no pavilhão desportivo de Montalegre, os barrosões ganharam em Chaves e são os novos campeões distritais, sucedendo assim ao GDC Salto. As Abelhas Azuis vão agora, na Taça Nacional, tentar a subida à 3ª divisão do futsal nacional.

Entrou bem no jogo a equipa barrosã, e até dispôs das primeiras situações de golo. No entanto, foi o Hóquei a primeira equipa a marcar, por intermédio de Carlos Ferreira. A formação flaviense podia ter aumentado a vantagem ainda antes do intervalo, o que diga-se, seria injusto. Ao intervalo 1-0.

Na etapa complementar, melhorou na finalização o Montalegre e virou o jogo para 1-2, graças aos golos de Carlos Machado (um golão) e do capitão Metro. Dinis e Rui Madeira estão perto de ampliar a vantagem mas os disparos falharam o alvo.

O Hóquei arrisca e Diogo Costa quase empata. A jogar 5×4, Carlos Ferreira volta a empatar o encontro. 2-2 era o resultado no final do tempo regulamentar.

Já que teria de ser encontrado um vencedor, houve dez minutos de prolongamento. Antes do final da primeira parte, Diogo Costa marca e volta a colocar o Hóquei Clube Flaviense no comando do marcador.

Reage a equipa barrosã e Carlos Machado oferece o golo a Diogo Valdegas que faz o 3-3. Huguinho ainda atira ao poste da baliza do Montalegre. Mas, depois de penálti convertido por France, as Abelhas conquistavam a vitória no jogo e no campeonato. Uma vitória que teve tanto de difícil como de saborosa. As Abelhas Azuis levantavam o troféu e faziam a festa na cidade de Chaves.

O Hóquei Flaviense foi um adversário forte, conquistou a Taça Distrital e ficou em primeiro lugar na fase regular do campeonato. Falhou apenas na final do play-off pelo título…

O guarda-redes do Hóquei Clube Flaviense, Geadas, deu os parabéns ao novo campeão: “A equipa de arbitragem teve influência no resultado, marca um penálti que na minha opinião não é. Temos de dar os parabéns ao Montalegre, foi um justo vencedor, que sejam felizes. Faltou marcar mais golos que o Montalegre. Valorizar a equipa que venceu, bem trabalhada, com irreverência dos miúdos.”

O treinador do Montalegre, Álvaro Santos, foi muito saudado por este título: “Eu sinto-me feliz por ver a felicidade deles. Houve momentos em que tivemos de sofrer e o apoio das bancadas foi muito importante. Esta vitória também é deles. Fomos intensos e competitivos. Sabíamos que fisicamente podíamos estar melhor que eles. Foi uma vitória geracional. Acabamos por ser felizes mas a vitória é inteiramente justa.”

Por Nuno Carvalho

Foto: Academia de Futebol e Futsal Abelhas Azuis

Menu