A pandemia Covid 19 vs A sobrevivência no CP

“Vivemos tempos nunca antes vividos”, “Não é fácil preparar um jogo assim”, “Dois pesos e duas medidas”, “futebol amador é o parente pobre da FPF”…são algumas afirmações que diariamente vamos ouvindo e lendo aqui e ali.

Para nós treinadores, é uma situação nunca antes vivida, não estudamos isto nos cursos, não temos exemplos nos nossos antepassados a que nos “agarrar” para poder Domingo após Domingo, jogo após jogo ter uma linha orientadora a seguir, vai muito do instinto de cada um, do feeling, e é aqui que digo e afirmo que os treinadores, jogadores, dirigentes, adeptos e todas as equipas não profissionais são o futebol no seu estado puro e duro.

O Campeonato de Portugal sem o mediatismo das ligas profissionais, tem seguido, tem levado a água ao seu moinho.

Jogadores ano após ano, dão o salto para o profissional, porque passam pela “peneira” Cp.

Dito isto, pergunto o porquê de as equipas do arquipélago da Madeira , “abandonarem” a competição, sabendo que terão todavia a oportunidade de regressar para a próxima época, sem qualquer penalização desportiva?

Onde está o principio da equidade? Igualdade? As “nossas” equipas do distrito de Vila Real se fizessem o mesmo qual seria a punição?

Sendo assim deixo aqui uma palavra de apreço e parabenizo todas as equipas do nosso distrito de Vila Real que competem herculeamente no CP.

Jogada praticamente a 1ª volta de todas as séries deixo aqui uma análise de como estão as “nossas” equipas.

Série A

Montalegre, continua a afirmar-se ano após ano e evidenciando o bom trabalho que o seu treinador Viage tem feito pela turma Barrosã. Encontra-se tranquilamente no 3º lugar a apenas 1 ponto do acesso à fase de promoção. Equipa que privilegia o futebol positivo, leva 22 golos marcados, em apenas 12 jogos. Sinal que o trabalho que tem sido feito ao longo destes anos, tem vindo a ser solidificado e que a evolução é permanente quer nos resultados quer na classificação.

Vidago, promovido “ á ultima da hora”, merece o meu destaque, pois ao contrário do que se vaticinava, tem feito um campeonato extraordinário. Vitor Gamito, e a estrutura Vidago FC, encontram-se no meio da tabela decorridas 12 jornadas, e têm uma almofada de conforto para o primeiro da linha de água. Tem jogadores conhecidos da nossa distrital, e conseguiu apetrechar-se pouco mas bem, não cometendo os erros que maioritariamente as equipas que ascendem ao CP fazem, que contratam sem destino e dispensam como nunca passado algumas jornadas. Tem tudo para se manter, sabendo que não irá ser fácil, mas estou convencido que o bom trabalho dá frutos.

Pedras Salgadas, a ultima equipa da Af Vila Real nesta série. Ano após ano, consegue sobreviver , e conseguindo a manutenção , este ano tem quanto a mim a tarefa mais difícil, mais ingrata. Encontra-se neste momento em posição complicada na tabela, e a turma termal, com o seu Presidente Jorge Barroso, que tem feito um trabalho inequívoco ao longo dos anos, tem uma montanha enorme para ultrapassar. Oxalá consiga, mas esta pandemia em nada deve abonar para a turma termal, pois o reforço da equipa, aliado a todas as condicionantes que a Covid 19 provoca nos orçamentos não ajuda em nada. Terão que “fazer das tripas coração” para conseguir a manutenção, lutando lado a lado com o Cerveira por ficar na posição imediatamente acima da linha de água. As jornadas escasseiam para somar pontos e todos os jogos agora serão finais.

Série B

Mondinense, encontra-se neste momento na posição mais complicada. 10 jogos 10 derrotas e uma incapacidade para dar a volta à situação.

Quanto a mim, a equipa que teve a tarefa mais ingrata, pois “caiu” na série mais complicada de todos, a meu ver. É a série que mais equilíbrio tem entre as equipas, quer a nível dos jogadores que possuem quer a nível de distância pontual entre as equipas. Numa série onde estão equipas como Fafe, Rio Ave B, Guimarães B e o Berço liderado pelo “ conhecido” professor Manuel Machado, o Mondinense tem a sua vida muito, muito complicada, e só um milagre os poderia salvar.

Série C

Sc Vila Real,a equipa do CP que menos jogos disputados tem, se tirarmos as equipas protegidas das Ilhas, o SC Vila Real tem tido uma tarefa muito ingrata. Leva apenas 6 jogos disputados. Aqui os lobos do marão, tem sido de uma resiliência enorme na crença, na luta e na vontade por manterem acesa a chama da manutenção, numa série em que se olharmos e tirarmos o Maritimo B, (a única equipa da Madeira que ficou, pois é profissional), todas as restantes equipas são do Distrito do Porto. Escusado será dizer que aqui, a escolha de jogadores, a luta nunca será igual. Mas com a vitória ante o Paredes no regresso ao mítico campo do Calvário o Sc Vila Real continua na luta. Eu acredito que os erros da época passada, com a troca de treinadores, jogadores, etc. ajudou os lobos do marão, este ano a terem tiros certeiros quer na escolha da equipa técnica quer nos jogadores que foram buscar. Agora sabemos que a tarefa que tem pela frente será enorme, mas não impossível. Se jogarem sempre na cidade, no mítico campo do Calvário em casa, poderão estar mais perto dos 3 pontos, pelo menos usando o fator casa como determinante para poderem almejar à manutenção, sabendo que as deslocações fora de portas nunca serão jogos fáceis.

Que venham os jogos da segunda volta e que as nossas equipas possam continuar no Cp a lutar e dignificar o nosso distrito, não com as mesmas armas mas com a raça e querer que nos caracterizam.

Paulo Ferreira (treinador de futebol)

Menu