A outra surpresa

A liderança do Sporting no fim da primeira volta do campeonato foi uma surpresa, mas longe de ser a única. Nesse sentido, existe outra surpresa a Norte. O Paços de Ferreira somou 34 pontos, os mesmos do Benfica, e ocupa, nesta fase, um lugar europeu.

Mais do que o registo pontual, é de relevar a personalidade e coesão da equipa pacense. Pepa que já tinha feito um grande trabalho em Tondela, é mais um dos treinadores a valorizar-se num clube onde já passaram, Paulo Fonseca, Paulo Sérgio ou Rui Vitória e tem construído uma equipa capaz de se bater com os melhores do nosso futebol.

Na maioria dos encontros, o Paços conseguiu dominar os opositores e mostrar uma superioridade inequívoca, que depois se relaciona diretamente com o registo pontual. Poder-se-ia pensar que o investimento no verão foi avultado, mas não é o caso.

De resto, a maioria dos reforços nem sequer vingou, sendo o 11 base construído maioritariamente por elementos que já estava no plantel na temporada anterior. As exceções são o guarda-redes Jordi, que tem estado em bom plano, o lateral direito Fernando Fonseca, que era indiscutível no Gil Vicente, e Bruno Costa, médio mais adiantado, com formação do FC Porto, mas que vinha de uma experiência falhada em Portimão.

Mais recentemente chegou Pedro Rebocho para substituir Oleg, um dos melhores laterais esquerdos da primeira volta e que foi transferido, em janeiro, para o Olympiakos de Pedro Martins, que é líder na Grécia.

Por outro lado, a continuidade de jogadores com mercado como Stephen Eustáquio que forma um trio de sucesso com Bruno Costa e o veterano Luiz Carlos; João Amaral e Douglas Tanque, o goleador da equipa (8 na época), foi também determinante.

Um dos méritos do conjunto da Capital do Móvel ao longo dos anos tem sido mesmo não entrar e loucuras e, apesar da descida de divisão em 2019, o clube manteve o seu trilho, regressou ao convívio dos grandes pela mão do saudoso Vítor Oliveira na época seguinte e, aos poucos, via-se solidificando na 1 Liga.

Nesse sentido, o Paços está quase a bater o registo pontal do campeonato anterior (39 pontos) e fica a dúvida se conseguirá manter esta média de pontos na segunda volta. Para já, a campanha dos pacenses tem excedido em larga medida as expectativas, numa fase em que o clube irá completar 700 jogos na principal divisão do futebol português.

Orlando Fernandes (Jornalista)

Menu