Merelinense – Montalegre, 0-1: alma enorme dá triunfo aos barrosões

Exibição monumental do Montalegre dá triunfo que pode ser decisivo nas contas pela subida. A jogar uma hora e doze minutos com menos um, os barrosões venceram e estão mais perto da Liga 3.

Só uma grande equipa conseguiria ganhar no campo do Merelinense, um adversário forte a todos os níveis, e que na primeira fase não perdeu em  casa. O Montalegre esteve soberbo a defender e a atacar. Aos 13´, remate forte e colocado de Zangão que só foi travado pela barra.

Entrou com mais dinâmica, determinação, agressividade e capacidade a equipa transmontana. Aos 15´, Angola surge ao segundo poste e cabeceia por cima da trave. O Montalegre tinha a intenção de vencer, porém aos 24 minutos os defesas estavam quase todos amarelados, exceção feita a Zack. E o pior viria depois. Aos 26 minutos, Ouattara é expulso com duplo-amarelo. Se o primeiro amarelo é bem mostrado, o segundo é exagerado. Estranhamente o Merelinense continuava desligado do jogo e os barrosões quase marcam por Adílson num desvio para a baliza.

A equipa minhota só teve uma oportunidade de golo no primeiro tempo – aos 45+1´, Diogo Torres isola-se mas atira à malha lateral. Sem o lateral direito, Angola fechava por fora e Rúben Neves compensava mais por dentro. O Merelinense não soube explorar de forma eficaz a expulsão de Ouattara. Ao intervalo 0-0.

Na etapa complementar, melhorou ligeiramente o Merelinense e Diogo Torres obriga Jeimes a boa intervenção. Depois, aos 49´, Marcelo atira à barra. Mas a equipa barrosã é muito traiçoeira e Luan recupera a bola e Zangão faz um grande golo, num disparo forte e colocado.

Nos últimos 20 minutos, o Montalegre defendeu mais do que atacou. Marcelo obriga Jeimes a grande intervenção e em contra-ataque Samate está perto do 0-2, valendo o corte de Filipe Almeida, o melhor do Merelinense.

Houve também a estrelinha da sorte, já que o Merelinense atira ao poste aos 90+3. O jogo terminava aos 90+8´. Vitória transmontana premiada pela enorme raça colocada em campo. Destacar toda a equipa barrosã pelo empenho total mas Luan Sérgio foi fundamental e gigante nos duelos a meio-campo. O brasileiro está no único golo do jogo. Arbitragem boa em termos técnicos mas má em termos disciplinares. A expulsão de Ouattara é injusta. Se o árbitro seguisse o mesmo critério, o Merelinense também não terminava com onze…

O treinador do Merelinense, Emanuel Simões, fala de uma exibição que ficou aquém das expectativas: “Um dia não. Foi claramente o pior jogo desta época. O facto de termos ficado com mais um homem prejudicou-nos. Fizemos mais do que suficiente para não perder o jogo – temos duas bolas no poste e duas defesas enormes do guarda-redes do Montalegre. Dependemos apenas de nós. O Merelinense vai estar na Liga 3. ”

Já o treinador do Montalegre, José Manuel Viage, rejubilou com o triunfo: “Foi um grande jogo da nossa parte. Houve muita determinação. As coisas complicaram-se depois da expulsão mas a equipa teve alma, querer, fez um esforço tremendo. Tivemos que sofrer e alguma felicidade. Pelo esforço, atitude, crença, vontade e determinação que os jogadores tiveram, esta vitória é justa, diante de uma grande equipa.

Por Nuno Carvalho

MERELINENSE – MONTALEGRE, 0-1

Jogo no Estádio João Soares Vieira – Merelim de S. Pedro (Braga).

Árbitro: Cláudio Durães (AF Guarda)

Merelinense: Rui Rego; Miguel Ângelo (Rui Ferreira 77); Filipe Almeida; João Paulo; Zé Diogo; Luis Ferraz ©; Freitas (Joel Marques 62); Diogo Torres (Ivan Nélson 62); Bruno Fernandes; Ola ( Flávio Chita 73) e Marcelo.

Treinador: Emanuel Simões

Montalegre: Jeimes; Ouattara; Vítor Pereira; Adílson Vaz; Zack; João Fernandes © (Lio Guerra 65); Rúben Neves (Tiago Oliveira 56); Luan Sérgio; Vilmar (Vítor Alves 72); Zangão (Samate 72) e Angola.

Treinador: José Manuel Viage.

Ao intervalo: 0-0

Golos: 0-1, Zangão (68).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Ouattara (14 e 26), Vítor Pereira (19) Adílson Vaz (24), João Fernandes (25), Miguel Ângelo (25), Diogo Torres (30), Ola (34), Rúben Neves (52), Angola (80), Samate (83), Marcelo (85), Zack (90+4) e Jeimes (90+8). Cartão vermelho para Ouattara (26).

Menu