XVI “Duplas” Open AAUTAD

0
144

Dupla Machado / Alhais conquista meritoriamente título de pares

Calor! Muito calor! De acordo com informação disponível na página on-line do Observatório Astronómico de Lisboa, o verão começou este pretérito Domingo às 17:38 e os tenistas que participaram neste último “Duplas” Open foram “brindados” com temperaturas bem acima dos 30 graus celsius.

Deste modo, nesta competição exclusivamente de pares, disputada nos campos da UTAD e do Clube Ténis de Vila Real, os diversos tenistas tiveram como “escaldante” cenário, um “quentinho sol parado” de Verão. Na junção das palavras latinas “sol” e “sistere” – Solstício de Verão, o Sol parece manter-se à mesma altura no meio-dia e pôr-se e nascer no mesmo ponto em relação ao horizonte.

No fundo… uma verdadeira canícula! Num fim-de-semana com elevadas temperaturas e devido à duração, intensidade da modalidade e taxa de sudação, uma deficiente hidratação podia prejudicar o desempenho dos intervenientes. O aporte hídrico foi, por isso, fundamental. Ainda assim, os diversos participantes do “Duplas” Open foram proporcionando animadas e longas partidas. E algumas deveras duradouras! Neste particular, as “melhores amigas” dos tenistas foram as bebidas isotónicas, abundantemente utilizadas para repor as perdas de água e electrólitos pela constante sudação.

Naturalmente, devido à capacidade técnica ou, quiçá, à (in)disponibilidade física, foi sendo consumada, progressivamente, a selecção das melhores “raquetes”. A “talho de foice”… game, set and match, para António Machado / Raul Alhais: 2/6, 6/4 e 7/5 frente à dupla Guilherme Saraiva / Amadeu Fernandes, foram os parcelares para “selar” o título neste último “Duplas” Open AAUTAD. A final decorreu no “centralito” das renovadas instalações do CTVR e no derradeiro encontro a dupla do CTVR (Machado / Alhais) teve como opositores a titulada parceria da AAUTAD, Saraiva / Fernandes.

E a contenda foi longa e equilibrada. Aliás, a disputa de três sets a favor da dupla do CTVR (na foto, nos extremos) espelha bem a combatividade dos jogadores do emblema vila-realense para fechar o encontro a seu favor.

Essencialmente, souberam, com mestria, controlar as emoções e contornar as dificuldades do encontro, executando e definindo com acerto nos momentos chave desta final.

Concluindo, uma actuação superlativa e um triunfo sem colocação de reticências. Uma vitória com mérito! Com uma distribuição inicial de t-shirt´s aos diversos atletas presentes, uma singela oferenda da entidade bancária NOVO BANCO (algo que rareia no panorama tenístico luso), este evento desportivo encerrou com a cerimónia de entrega dos troféus – gentileza da Câmara Municipal de Vila Real – e a habitual “chapa” para a posteridade!

Deixar comentário

Comentário