Pedras Salgadas faz história no CNS

0
472

10384145_709348185789380_235837253578316260_nA formação do Pedras Salgadas após o triunfo, ontem, diante da equipa do Barreirense alcançou a manutenção no Campeonato Nacional de Seniores. No conjunto da eliminatória, os comandados de Carlos Guerra tiverem um resultado favorável de 3-0.

Na partida de ontem,  no Estádio da Verderena no Barreiro, a turma da Vila Termal, voltou a seu superior ao  adversário, ao longo de todo o encontro. Numa primeira parte, onde efectivamente o Barreirense entrou com um ímpeto ofensivo elevado, procurando reduzir a desvantagem na eliminatória o mais cedo possível, mas tal não veio a acontecer. O Pedras Salgadas, com uma postura personalizada e os índices de concentração em alta, conseguiu defender de uma forma coesa e organizada com Ramalho a ser a voz de comando no quarteto defensivo.

Por outro lado, com o decorrer dos minutos a equipa aguiarense foi subindo as suas linhas, bem como conquistando o meio-campo adversário, com as oportunidades de golo a surgirem de uma forma natural. Inclusive, ao minuto 43, Fall numa jogada de envolvimento ofensivo vai estar perto de obter o golo, mas o guarda-redes Zé Carlos com uma defesa apertada defende para canto.

Na etapa complementar, a formação do Barreirense, começou acusar a pressão do resultado desfavorável e o Pedras Salgadas sentiu que era possível também vencer na casa do opositor. Como tal, Hugo Silva, tira um “coelho da cartola”, ao minuto 71, e numa jogada individual ultrapassa um conjunto de jogadores do Barreirense e no frente-a-frente, com Zé Carlos, rematou para o golo da consagração da turma termal. A partir desta altura o Barreirense, “atirou a toalha ao chão”, e foi só esperar pelo apito final do arbitro João Pinto da AF Lisboa, para a festa do Juventude de Pedras Salgadas acontecer, no Barreiro, e com vista para o rio Tejo.

10363839_709348032456062_6096492448519420463_nTrês mosqueteiros preponderantes numa eliminatória, onde a equipa evidenciou bom futebol 

Naturalmente, que a força de todos os jogadores foi importante para o objectivo da manutenção se tornar uma realidade. Mas no meio de um colectivo, houve efectivamente três jogadores que se evidenciaram, nesta eliminatória diante do Barreirense. Rafael Albuquerque, deu muita segurança a partir da baliza, com defesas fundamentais e de dificuldade elevada, ainda para mais nesta eliminatória não sofreu qualquer golo. Aos 22 anos, Rafa, demonstrou que tem um grande futuro pela frente, pois o seu potencial é enorme, e nesta formação do Pedras Salgadas foi uma peça fulcral no “xadrez” de Carlos Guerra, como se costuma dizer “um bom guarda-redes, faz uma grande equipa”, e Rafael Albuquerque, fez uma época ao serviço do Pedras Salgadas, fenomenal.

Por outro lado, o central Ramalho, foi a força e a alma de toda uma equipa. Preponderante na manobra defensiva da turma aguiarense. A sua experiência e sabedoria futebolística, voltou a ser crucial nesta eliminatória, com interceptações importantes, bem como, a forma como conseguia organizar a equipa em campo a partir da defesa. Um verdadeiro líder.

Contudo, o jogador que decide esta eliminatória foi Hugo Silva, autor de dois dos três golos com que o Pedras Salgadas venceu o Barreirense. No primeiro jogo, em Chaves, foi um desequilibrador nato, com jogadas que deixaram “os olhos em bico”, aos seus adversários, bem como um golo que permitiu a vantagem no marcador e curiosamente na eliminatória. No encontro de ontem, foi novamente Hugo Silva, o arquitecto de todo o jogo ofensivo do Pedras Salgadas, e ao minuto 71, marcou outro golo que foi o alcançar da manutenção da equipa no CNS. Hugo Silva, demonstrou ser um craque, e um “um diamante por lapidar”, que seguramente vai atingir uma equipa dos campeonatos profissionais.

Carlos Guerra entra para a história do clube

O treinador, Carlos Guerra, foi o timoneiro, que levou os navegadores aguiarenses à manutenção no Campeonato Nacional de Seniores. Inclusive, Carlos Guerra na época 2012/2013, venceu a divisão de honra, como líder do Pedras Salgadas onde alcançou a subida aos nacional, e esta época 2013/2014, obteve o objectivo inicial proposto pela direcção que era efectivamente a manutenção.

Um trabalho desenvolvido, em duas épocas, que o fazem entrar na história do clube. Carlos Guerra, classifica-se com um técnico persistente e apesar de todas as dificuldades no campeonato, sempre acreditou no valor dos atletas e que o sonho da manutenção se tornaria numa realidade. Uma palavra também de apreço para o treinador-adjunto, André Bernardo, que foi um elemento fundamental, na manobra técnico-táctica de toda a equipa, bem como, um observador nato, das equipas adversarias na preparação de todas as partidas. Um jovem técnico, mas com muito conhecimento futebolístico.

Jorge Barroso o Presidente que faz história e que mobilizou todo um clube para mais um feito

Eng. Jorge Barroso, Presidente da direcção do Juventude de Pedras Salgadas, voltou a pintar mais uma pagina bonita, na história do clube termal. A forma como geriu todas as situações difíceis e complicadas ao longo da época, fazem dele o grande vencedor desta equipa. Foi efectivamente, a pessoa que mais acreditou que o sonho da manutenção no CNS, se tornaria uma realidade.

Foi também, quem deu a “cara”, por um projecto idealizado por ele para que o Pedras Salgadas se torna-se uma equipa respeitada nos campeonatos nacionais. “Um líder forte, faz força a muita gente”, e Jorge Barroso voltou afirmar-se como um excelente Presidente ao leme de toda uma direcção, que tudo fez, para dar esta grande alegria a toda a massa associativa. Pedras Salgadas

Deixar comentário

Comentário