Paulo Alves no Monte da Forca

0
632

Paulo-alves-treinadorDepois de ter vencido o Braga B no sábado ao comando do Beira – Mar, o VilaRealense Paulo Alves assistiu ao encontro entre o Vila Real e o Ribeirão, coincidindo até com a primeira vitória dos alvinegros em casa.

Numa pequena conversa com a Rádio Voz do Marão e DT, o técnico referiu que acompanha sempre que pode os jogos fora e em casa do SC Vila Real.

Reconhece muita qualidade e potencial no plantel alvinegro, referindo que “É um plantel novo, que está a crescer e se a evolução for contínua e aprimorada, podemos ver alguns destes atletas em patamares superiores”.

Sobre o seu ingresso no Beira-Mar, visto que estava a alguns meses sem treinar, Paulo Alves referiu que foi uma escolha estudada, sabia do potencial do clube, e refere mesmo que “escolhi o Beira-mar porque sabia que podia realizar um trabalho consistente”.

Contudo é reconhecido que se trata de um clube que passa por muitas dificuldades, “ os jogadores não recebem a 4 meses, mas têm sido profissionais, o clube necessita de organizar-se interna e externamente como clube importante e histórico e se conseguir isso, existe matéria-prima para novos voos”

E apesar das dificuldades a época têm corrido bem, estando já colocada de parte a descida de divisão, “O trabalho que temos feito até agora, seria muito difícil fazer melhor, com os problemas que temos, com a equipa que é também muito jovem, sobretudo muitos dos jogadores é a primeira vez que estão em Portugal a ser profissionais, e isso trouxe-nos problemas acrescidos, dai estar a ser muito gratificante o nosso trabalho no clube”.

Como VilaRealense, Paulo Alves segue atentamente a carreira do Desportivo de Chaves, até porque é um adversário nesta II Liga, vincando que para a região transmontana é importante ter um clube nos campeonatos profissionais, “ Esta segunda Liga é muito competitiva, em que as previsões dos resultados são sempre muito difíceis, o Chaves têm muita qualidade mas de facto a ponta final dos campeonatos pode ser imprevisível, e eu sou testemunha disso que a uns anos atrás consegui subir de divisão com o Gil Vicente praticamente no último minuto da partida.”

Deixar comentário

Comentário