Opinião: Futsal – As noites em branco

0
162

Por: Fernando Parente*

São as 05:15 da manhã e está novamente a insónia instalada. Já não estranho a sua presença.
Por muito que um Treinador esteja acostumado, estas noites aparecem apenas de vez em quando durante a temporada, onde pensas e repensas uma e outra vez tudo o que trabalhaste durante toda a semana.
São aquelas noites em que nos assolam as dúvidas, os pensamentos e as perguntas.
São noites em que duvidamos de tudo e ao mesmo tempo reafirma-mos as nossas ideias.
São noites em que temos largos monólogos com nós mesmos, são noites onde imaginamos o próximo jogo. Onde ganhamos e onde perdemos. Onde estamos concentrados e onde não acertamos em nada. São noites em que temos a solução para tudo e tudo nos sai bem. São noites que ninguém vê e que todos os treinadores têm.
O nosso corpo quer dormir, mas a nossa cabeça não para e, nada mais faz do que dar mil e uma voltas sobre os treinos da semana que passou, se conseguimos passar ao jogador tudo o que pretendíamos dos mesmos, se foram treinos suficientes, intensos, ou se, por outro lado, foram curtos e sem dinâmica…assim, dúvidas. Tudo são dúvidas.
Somos Treinadores pelo bem e pelo mal, pelas alegrias do princípio ao fim e pelas derrotas no último segundo. Pelas celebrações e pelas noites de insónia. É assim. Ninguém nos o disse quando começamos a formar-nos, mas todos sabíamos que elas chegariam. Todos temos presente em nós que as noites em branco vão aparecer, mais cedo ou mais tarde. Quando te convertes a algo que gostas, a algo a que te agarras com tudo, e o fazes bem, mesmo que por vezes essa profissão não seja a tua, mas onde atuas como tal, todos os treinadores assumem o que pode vir disso. Por isso, já não nos surpreende o aparecimento da insónia.
Não nos surpreende que uma e outra vez se repetirá essa mesma noite sem dormir. Não nos surpreende que nos levantemos de madrugada a dar voltas a esta ou aquela jogada, a este ou aquele canto, aquele lançamento, um novo livre que aparece, uma nova situação de jogo… Não nos surpreende que o relógio ande mais lento que o habitual.
Nada nem ninguém nos obrigou a ser Treinadores. Nós é que escolhemos sê-lo. Nós é que nos formamos para tal e seremos nós a viver mil noites de insónia pela modalidade que tanto gostamos, o Futsal.

* Treinador de Futsal

 

 

Deixar comentário

Comentário