Encerradas as festividades dos 25 anos, Amadeu Fernandes, seccionista e técnico dos tenistas da academia transmontana, cessou as suas funções. Pediu demissão.  

Cresceu! 25 anos! É de surgir um sorriso no rosto! Ou um ligeiro lacrimejar. Mas, como é hábito, as datas redondas servem para comemorar! E foi o caso! A Secção de Ténis da AAUTAD, divisão desportiva da academia transmontana, que desde 1991, data da sua génese, granjeou notoriedade (atingiu a 2.ª Divisão Nacional de Inter-Clubes e foi distinguida com o prémio Instituto do Desporto de Portugal – “Reconhecer o Mérito”), completou ¼ de século! Marcando habitualmente o encerramento das competições organizadas in loco pelos tenistas da AAUTAD, esta edição do Open Aniversário foi um momento festivo aproveitado para celebrar 25 anos de contínua actividade e sucessos desportivos.

Assim, nesta competição, os bem velhinhos courts da UTAD foram palco de enérgicos encontros e o bom ambiente foi uma constante entre os presentes. No quadro de singulares, destaque para a presença de dois atletas da AAUTAD na final. Deste modo, a última contenda apresentava o veterano Henrique Vaz frente ao “petiz” José “Gasquet” Almeida. Detentores de belas esquerdas a uma mão, os dois tenistas almejavam pertencer ao “Quadro de Honra” deste Open Aniversário e tanto podiam proporcionar um embate duradouro como deixar que o jogo se decidisse num curto espaço de tempo. E assim foi! Henrique Vaz “ofereceu” uma masterclass ao seu jovem e voluntarioso oponente. Na gíria tenística… uma “bicicleta”.

Henrique Vaz possui um ténis fluido e criativo que lhe possibilita ter argumentos para vários cenários e, assim, contrariar os seus adversários, levando-os para uma zona de desconforto. Sem mácula! Na variante de pares, sempre muito apreciada e disputada entre os jogadores da “Bila”, a dupla da Associação Académica da UTAD, Guilherme Saraiva / Amadeu Fernandes, venceu todos os seus encontros, posicionando-se no lugar cimeiro, à frente da dupla do CTVR, Paulo Padilha / Orlando Carvalho. No encontro entre estas duas equipas, o tandem Guilherme Saraiva / Amadeu Fernandes revelou a sua mestria e confiança, aproveitou eficazmente os vários pontos de break e conseguiu as necessárias quebras de serviço para triunfar por expeditos 6/1 e 6/0, perante a pouco rodada parelha do emblema vila-realense.

Com uma distribuição inicial de t-shirts aos diversos atletas, uma singela oferenda da UTAD, NOVO BANCO e do IPDJ, overgrips e sets de cordas da FERFILTÉNIS, edições CÉSAR COUTINHO TENNIS, bem como umas simpáticas mochilas e chapéus HEAD e BABOLAT, este evento desportivo procedeu à cerimónia de entrega dos troféus – cortesia da Câmara Municipal de Vila Real e da VIGIA – e à habitual “chapa” para a posteridade.

No programa conclusivo desta comemoração, um singelo lanche foi oferecido aos atletas e público presente. Merecido! No final, Amadeu Fernandes considerou que este é o momento indicado para cessar as suas presentes competências. Acrescentou que foi com manifesto orgulho que sempre diligenciou em prol da AAUTAD. No reconhecimento da sua insuficiência, será sempre grato a quem acrescentar a esta ingente tarefa o sucesso da Secção de Ténis da AAUTAD. Revelou que o pedido de demissão seguiu o seu caminho. Magnânimo…?

Deixar comentário

Comentário