Final Taça AFVR: Montalegre 3-1 SC Régua

0
370

taça_2

O Montalegre venceu na final da Taça AFVR o Régua (3-1). Numa partida intensa e com duas partes completamente distintas, os comandados de José Manuel Viage conseguiram pelo segundo ano consecutivo conquistar o tão desejado troféu para o seu historial. O Régua apesar da derrota foi um digno vencido, num jogo onde os seus atletas demonstraram ambição e nunca desistiram de procurar a vitória.

A primeira parte do encontro foi disputada com grande intensidade com o Régua a ter alguma superioridade sobre o Montalegre. Nando impunha o seu poder físico no meio-campo e Diogo Jerónimo criava desequilíbrios na frente de ataque. Contudo, João Nuno (26’ e 30´) vai estar próximo de marcar, mas o guarda-redes Vieira apresentou segurança na defesa dos remates. Porém, ainda no decorrer da primeira parte Diogo Jerónimo vai receber ordem de expulsão, sendo que nas duas faltas que cometeu neste período foi advertido com cartão amarelo.

Mesmo em inferioridade numérica, a turma duriense vai chegar à vantagem na partida com João Nuno a desferir um cabeceamento certeiro que não deu qualquer hipótese de defesa a Vieira, decorria o minuto 40.

No reatamento do jogo, o Montalegre veio transfigurado para melhor, com um sistema táctico mais ofensivo, o que possibilitava à equipa do barroso ter o domínio da posse de bola.

A igualdade surgiu do pé esquerdo de Zacharias (46’), que aproveitou da melhor forma um corte incompleto da defensiva do Régua, para desferir um remate colocado que traiu o guarda-redes Luís. Este golo motivou mais a turma barrosã que partiu em busca da vantagem no marcador.

 

 

Reviravolta no marcador

A “reviravolta” surgiu num lance de bola parada, com o defesa Daniel Valente a cometer falta dentro da área de rigor sobre Gabi. Esta decisão de Berta Tavares motivou vários protestos do banco de suplentes do Régua, bem como de toda a massa adepta que assistia ao encontro. Chamado a converter o castigo máximo, Nuno Abreu finalizou com sucesso (65’).

Em desvantagem no marcador e com menos uma unidade em campo, a equipa duriense foi-se descompensado nos processos defensivos, situação que acabou por ser aproveitada pelo atacante do Montalegre Badará. Num lance onde os atletas de João Valente estavam balanceados no ataque, uma perca de bola foi fatal. Já que o dianteiro do Montalegre conseguiu isolar-se e perante Luís não teve dificuldade em marcar o terceiro golo para a turma de José Manuel Viage.

Todavia, em desvantagem no marcador João Valente procurou dar mais profundidade ao ataque do Régua e lançou para o relvado André Silva e António. Os dois atletas vieram dar uma maior dinâmica à equipa, e o próprio António (88’), vai inclusive ter uma excelente oportunidade para reduzir a desvantagem no placard, mas acabou por não ser eficaz.

Em conclusão, uma final bem disputada onde teve vários momentos de bom futebol com o Montalegre a justificar a vitória na segunda parte. Por outro lado, o Régua foi uma equipa que nunca “baixou os braços”, e demonstrou ter sido um digno vencido.

As figuras do jogo foram Gabi (Montalegre) pela capacidade de desequilíbrio que conseguiu ter no ataque da sua equipa, bem como pela qualidade de passe que teve ao longo do jogo.

Já Nando (Régua) foi um jogador preponderante na recuperação de bola, e conseguiu ser o “motor” da equipa na ligação entre a defesa e o ataque

Texto: Luís Miguel Roçadas

Fotos: José Sousa

 

Estádio Municipal do Monte da Forca, em Vila Real.

Àrbitra: Berta Tavares

Àrbitros assistentes: Bruno Trindade e Sérgio Jesus

Montalegre: Vieira; Leonel Costa (Fortunato 45’); Jorge Fidalgo (Bruno Madeira 80’); Leonel Fernandes; Nuno Abreu; Chiquinho; André Veras (Carvalho 70’); Rendeiro; Zacharias; Gabi e Badará.

Treinador: José Manuel Viage

Régua: Luís; João Pinto (Vítor Valente 72’); Daniel Valente; Patrick; Roque; Zé Pedro; Ferraz (António 77’); Nando; Márcio (André Silva 77’); João Nuno e Diogo Jerónimo.

Treinador: João Valente

Ação disciplinar: Cartão Amarelo a Leonel Costa (17’); Diogo Jerónimo (20’ e 38’); André Veras (23’); Nando (64’); Daniel Valente (65’); Nuno Abreu (74’); Leonel Fernandes (80’). Cartão vermelho a Diogo Jerónimo (38’)

Golos: 0-1, João Nuno (40’); 1-1, Zacharias (46’); 2-1, Nuno Abreu (65’gp); 3-1, Badará (67’)

 

 

 

Deixar comentário

Comentário