Três anos volvidos, o sueco Johan Kristoffersson volta a vencer no circuito internacional de Montalegre no escalão maior do rallycross. Uma final com neve onde o campeão do Mundo não deu hipótese ao francês Sebastien Loeb. Com esta vitória, Kristoffersson reforça a liderança do Mundial Rallycross.

Se no primeiro dia o domínio foi da Peugeot, onde pontificou a condução de Loeb, o decisivo foi conquistado pela arte do sueco Johan Kristoffersson que voltou a triunfar no circuito barrosão, tal como sucedeu – também com temporal – há três anos. Na verdade, para o último dia houve de tudo um pouco: sol, chuva, vento e…neve!

No que concerne Às corridas, dizer que o resultado das quatro qualificações deixou Loeb na frente, mas isso deveu-se mais às prestações de sábado com piso seco. Este domingo, com piso molhado, o lendário piloto francês não esteve tão bem. Timmy Hansen posicionou-se ao seu lado no que foi a melhor qualificação que a Peugeot já fez no Mundial de Rallycross.

Nas meias finais, Timmy Hansen e Johan Kristoffersson repartiram os triunfos, mas saltou à vista o desastre de Mattias Ekkstrom que na sua meia final tentou seguir o seu companheiro Andreas Bakkerud e acabou por prejudicar a prova de ambos, a ponto de deixar Ekkstrom fora da final.

NEVE: PURO ESPETÁCULO!

Por sua vez, na corrida decisiva, Johan Kristoffersson conseguiu sair da primeira curva na frente, e a partir daí geriu a vantagem até à bandeirada de xadrez. Timmy Hansen não o conseguiu acompanhar, fruto de um toque num rail na segunda volta quando aparentemente o autoblocante do Peugeot atirou o carro para o lado, o que ainda viria a provocar um peão do sueco no mesmo local uma volta mais à frente. Entretanto, Sebastien Loeb optou por ir à Joker Lap, logo após o arranque, levando atrás de si Petter Solberg, mas o francês pareceu ter encontrado o set-up adequado para o Peugeot em molhado e conseguiu distanciar-se progressivamente do homem da VW.

Abaixo do pódio ficou Andreas Bakkerud que não resistiu a Loeb e Solberg num fim de semana para esquecer na equipa EKS. Guerlain Chicherit conseguiu colocar o Renault Megane no quinto posto, garantindo a ida a uma final logo na segunda prova do carro.

Nos S1600, Artis Baumanis levou o Skoda Fabia ao triunfo. Espen Isaksaetre, num Peugeot 208, surpreendeu, já que saiu do último lugar, da segunda meia-final, e conseguiu passar à final para subir até à segunda posição final. Ondrej Smetana colocou o Ford Fiesta em terceiro.

CLASSIFICAÇÃO FINAL SUPERCARS

Cl Piloto Carro Tempo
1º Johan Kristoffersson VW Polo R 6 voltas em 4m16,859s
2º Sébastien Loeb Peugeot 208 WRX a 2,253s
3º Petter Solberg VW Polo R a 3,938s
4º Andreas Bakkerud Audi S1 quattro a 6,642s
5º Guerlain Chicherit Renault Mégane RS a 9,566s
6º Timmy Hansen Peugeot 208 WRX a 21,244s

 

CLASSIFICAÇÃO FINAL S1600

Cl Piloto Carro Tempo
1º Artis Baumanis Skoda Fabia 6 voltas em 4m40,844s
2º Espen Isaksaetre Peugeot 208 a 0,605s
3º Ondrej Smetana Ford Fiesta a 1,360s
4º Max Eveno Citroen C2 a 2,167s
5º Rokas Baciuska Skoda Fabia a 2,976s
6º Vaclav Veverka Peugeot 208 a 5,189s

 

Deixar comentário

Comentário