Opinião: Fair Play desportivo e social

0
874

“O DESPORTIVISMO NO DESPORTO É SEMPRE VENCEDOR” Código de Ética Desportiva

Por: João Pinto Santos

Numa tradução linear, em português, “Fair Play” significa “Jogo Limpo”. Devemos entender este conceito, tão protelado no mundo desportivo, como um conjunto de valores, sobretudo lealdade e respeito entre os diferentes agentes desportivos.

Segundo o Código de Ética Desportiva, o “Fair Play” significa muito mais do que o simples respeitar das regras; engloba as noções de amizade, de respeito pelo outro, e do espírito desportivo, representa um modo de pensar, e não simplesmente um comportamento. O conceito abrange a problemática da luta contra a batota, a arte de usar a astúcia dentro do respeito das regras, o doping, a violência (tanto física como verbal), a desigualdade de oportunidades, a comercialização excessiva e a corrupção.

O “Fair Play” é um conceito positivo. O mesmo Código considera o desporto como uma actividade sócio-cultural que enriquece a sociedade e a amizade entre as nações, desde que seja praticado lealmente. O desporto é também considerado como uma actividade que, se for exercida de maneira leal, permite ao indivíduo conhecer-se melhor, exprimir-se e realizar-se; desenvolver-se plenamente, adquirir uma arte e demonstrar as suas capacidades; o desporto permite uma interacção social, é fonte de prazer e proporciona bem-estar e saúde. O desporto, com o seu vasto leque de clubes e de voluntários, oferece a ocasião de envolver-se e de tomar responsabilidades na sociedade. Além disso, o envolvimento responsável em certas actividades pode contribuir para o desenvolvimento da sensibilidade para com o meio ambiente.

Infelizmente, assistimos ao longo do ano a competições onde as regras de “Fair Play” são adulteradas. O mais importante é o resultado, ficando para segundo plano a forma como se o alcança. Muitos dizem que são as regras do jogo, outros advertem para a falta de profissionalismo e de ética dos responsáveis e praticantes desportivos. Na verdade é que, e são muitas vezes, vemos situações que deviam deixar os atletas envergonhados com os golpes de teatro exagerados, que leva a penalização do adversário, sem que algo de relevante tenha acontecido! Frequentemente vemos jogadores a cair sem que nada tenha acontecido, a queixarem-se de um murro na cara quando a mão do adversário passou pelo peito. Também vemos, por outro lado, atitudes nada abonatórias entre colegas de profissão, desde entradas duras, pisar o adversário propositadamente, às agressões físicas ou verbais.

É necessário cada vez mais reafirmarmos a importância do “Fair-Play”, num mundo em que a conduta desportiva não pode estar acima de interesses económicos e sociais, sabendo nós que, lamentavelmente, estes interesses estão sempre associados aos resultados desportivos.

Deixar comentário

Comentário