Novo treinador encara regresso à Divisão de Honra com otimismo

Marco Jesus foi o treinador escolhido para liderar a equipa principal do Sabroso SC no regresso à Divisão de Honra da Associação de Futebol de Vila Real (AFVR), três épocas depois da última participação, em 2014/2015.

A tarefa não se antevê fácil, mas o técnico conta com alguma experiência na modalidade. De resto, a vontade de ser treinador de futebol surgiu depois de deixar, precocemente, aos 27 anos, os recintos desportivos, após uma rotura de ligamentos. “Comecei a jogar futebol
no Sabroso, como não podia deixar de ser. Depois, enquanto sénior, representei vários clubes nos distritais, desde o Vila Pouca de Aguiar, Vidago, Ribeira de Pena, Boticas e Pedras Salgadas. Como atleta de futsal passei ainda pelo Sapiãos, de Boticas. Depois tive uma lesão grave, mas quis continuar ligado ao futebol, por isso decidi tirar o curso de
treinador”, contou Marco Jesus.

Após seis épocas a orientar equipas das camadas jovens do Juventude de Pedras Salgadas, com resultados positivos, o técnico de 40 anos, natural de Sabroso de Aguiar, decidiu abraçar um novo projeto. “Foram seis anos fantásticos no Pedras. Correu muito bem, houve jogadores que acabaram por sair para equipas maiores e fomos sempre à fase de
apuramento de campeão, contra grandes equipas do distrito”, contou Marco Jesus, que também dirigiu a seleção aguiarense no torneio internacional de futebol juvenil, VPA Cup.

Agora, na equipa sénior do Sabroso, a missão será diferente, mas o técnico encara o regresso da equipa à Divisão de Honra da AFVR com algum otimismo. “É o clube da minha terra, é um clube que me diz muito. Basicamente, o novo presidente fez-me uma proposta e eu aceitei. Vamos ver agora como corre, mas penso que estamos a formar uma boa equipa”, considerou.

Plantel composto pela “prata da casa”

Sobre o plantel, Marco Jesus confessou que foi “um pouco difícil” reunir um lote de jogadores que estivessem de acordo com o seu modelo de jogo. “Já temos um plantel com
22 atletas, 13 dos quais são atletas do concelho, e alguns passaram pelas camadas jovens do Sabroso. Queríamos mais três ou quatro, para dar mais consistência e alternativas à equipa. Vamos ver. Para já, tem sido um processo longo. Em pouco mais de três semanas de treino, houve uma semana e meia de captações. Tivemos mais de 50 atletas. O lote foi reduzindo, até que consegui reunir um conjunto de jogadores que pretendia. Esta semana
sim, já vamos começar a trabalhar a minha ideia dejogo”, referiu.

Para o treinador, o campeonato que vai iniciar no domingo será longo, com 18 equipas e
34 jornadas. Além disso, as equipas da Divisão de Honra, neste ano, “estão muito bem apetrechadas”, com destaque para os candidatos Vila Real, Régua e Mondinense, mas
sem esquecer os estreantes Constantim e Cumieira. “Estou apreensivo, claro, mas estou ansioso por começar. Até agora tivemos dois jogos de pré-época, com Vidago e Vilar de
Perdizes. Perdemos, mas foram jogos positivos, em que consegui tirar algumas ilações”, declarou.

Os objetivos, quer para o campeonato, quer para a Taça AFVR, passam por pensar jogo a jogo. “Vamos preparando os jogos à medida que vão acontecendo. O Sabroso sempre foi um clube muito difícil em casa, no Campo da Avenida, e por isso queremos aproveitar
esse fator para amealhar o máximo de pontos possível. Em relação à Taça AFVR, como se sabe, o Sabroso tem várias presenças na final, a última foi há cerca de 10 anos, mas queremos fazer jus a essa história e ir o mais longe possível”, finalizou Marco jesus.

Deixar comentário

Comentário